Pesquisar

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

F-35 - Se vc não pode me enxergar, não pode me matar...

 Lockheed Martin F-35B Lightning II
*
Entenda um pouco sobre o que é o JSF, quais são suas vantagens, quais são seus problemas, qual sua proposta e o que está realmente acontecendo.
 *
Programa JSF
A designação JSF vem de joint strike fighter, isto é, um caça que juntaria a capacidade de combate e de ataque em uma única aeronave. Tecnicamente falando, quase todos caças de dupla finalidade (multifuncionais) se desenvolveram à partir de aviões de combate puro, pouquíssimos tiveram desde sua base de projeto o objetivo principal de ser multimissão.
*
No geral, caças desenvolvidos para serem multifuncionais, como o Rafale, o Typhoon e o Gripen possuem um desempenho mais próximo de um avião de combate que de bombardeiros.
*
O projeto JSF norte americano tinha como objetivo principal criar uma aeronave de combate e de ataque com desempenho de um caça, capacidade de carga e alcance de um bombardeiro, decolagem curta e/ou vertical, além de uma capacidade furtiva (stealth).
*
Assim o JSF seria um caça universal, substituindo todos aviões de combate dos EUA e de seus aliados/clientes. 
*
No JSF seria incorporada a experiência de combate aprendida durante anos com os F-15, F-16 e F/A-18, além das características furtivas do F-22 Raptor.
*
O F-22 Raptor foi concebido como caça de superioridade aérea, ou seja, para abater quaisquer adversários existentes. Seu projeto data de 1990, quando os EUA chegaram a conclusão que seu F-15 Eagle não era mais páreo para os caças soviéticos de superioridade aérea Sukhoi Su-27.
*
Ao todo forma construídos 195 Raptores entre 1996 a 2011, sendo que dos quais 187 permanecem em serviço na USAF. O final do programa F-22 foi devido ao elevados custos desse avião. 
*
Curiosamente, o Raptor não sucedeu o F-15, que está em produção desde 1972 até hoje, atingindo a casa das 1.500 unidades.
*
Hoje um F-15E custa cerca de US$ 100.000.000,00 para a USAF e cerca de 134 (US$ mi.) para exportação, o Raptor foi cancelado pois custava 50% a mais que o F-15E para a USAF.
*
Em suma, o JSF teria de ser mais barato que o F-22 para ser fabricado em massa, assim como o F-16, que custa cerca de US$  34.000.000,00 e ainda se encontra em produção, com mais de 4.500 unidades fabricadas.
*
O vencedor do programa JSF norte americano foi o Lockheed Martin F-35 Lightning II. Veja mais em: F-35 caro e controverso.
*
Para atender à todas solicitações, foram desenvolvidas três versões do F-35: O F-35A como caça multifuncional baseado em terra; O F-35B, de pouso e decolagem curta e/ou vertical e o F-35C como caça naval multifunção embarcado.
*
Propostas
Em termos gerais, o F-35A não está dentro de mesma categoria do F-15E, nunca foi citado a substituição dos F-15E da USAF pelos F-35A, porém é conveniente ressaltar que potenciais clientes/usuários do F-15E poderiam a se interessar mais pelo F-35A, caso viesse a ser mais avançado tecnologicamente, furtivo e principalmente mais barato, mesmo talvez com um desempenho um pouco abaixo do poderoso F-15E.
*
 Tanto na USAF como pelo mundo afora, o F-35A deveria substituir o F-16, que é usado hoje por 25 nações, disputando com o Mig-29 o primeiro lugar de mais populares no mundo. Dentre os usuários atuais do F-16 que participaram do programa F-35 estão a Holanda, a Itália (que não usa mais o F-16), a Dinamarca, a Noruega, a Turquia, Israel e Singapura. 
*
Assim como o F-16 atingiu a quantidade total de 4.500 unidades fabricadas, o F-35 também seria um avião para ser produzido em massa, sendo previsto um total de 3.100 unidades, das quais 2443 seriam para os EUA.
*
A versão de decolagem curta e/ou vertical F-35B destina-se ao uso embarcado, assim como são usados hoje em dia os subsônicos AV-8B Harrier II. Além do Corpo de Fuzileiros Navais Norte Americanos (USMC), o F-35B substituiria os Harrier da Marinha Italiana, da Marinha Espanhola e da Royal Navy, essa última, que hoje nem usa mais os Harrier.
*
Assim o F-35 teve seu desenvolvimento à partir do fracassado programa soviético Yak-141, iniciado em 1987 e cancelado em 1991, de um avião supersônico com capacidade de pouso e decolagem vertical. Veja mais em: F-35 caro e contoverso.
*
O Harrier foi sucesso em 1982 na Guerra das Malvinas, usado contra aviões antigos e defasados da Força Aérea Argentina, porém não se sabe exatamente a sua capacidade atual, se comparado aos caças de 4° geração em uso hoje no mundo.
*
Hoje a maioria dos Harrier se encontram no limite de sua vida útil, e exceto pelo F-35B, ainda não tem um sucessor.
*
O F-35C deveria ser um avião a suceder o F/A-18A/B/C/D Hornet assim como o F/A-18E/F Super Hornet como caça multifuncional embarcado. Seu único cliente seria a US NAVY, para isso o avião além de robusto, deveria ter um desempenho, se não igual, superior ao F/A-18E/F, que hoje é o melhor avião de combate embarcado no mundo (veja mais em: Top 10 caças navais).
*
O provável adversário e concorrente embarcado do F/A-18E/F, o Mig-29K terá um mercado limitado além de uma grande espera em relação à sua implantação, assim o F-35C está previsto para ser colocado na ativa somente em 2019.
*
Enquanto se espera pelo desenvolvimento do F-35C, a China já testa seus Shenyang J-15 e a Índia seus Mig-29K, que entrarão entre esse ano e o final de 2014 em serviço.
*
Exportações
Caça multifuncional japonês Mitsubishi F-2
*
O Japão hoje o segundo maior credor dos EUA, é até agora o único país que não participou do programa F-35 que tem encomendas concretas do avião. Os EUA devem cerca de 1,11 trilhões de dólares ao Japão e os 42 F-35A viriam como parte do pagamento dessa dívida.
*
Na Força de Auto Defesa do Japão, o F-35A viria como um complemento aos Mitsubishi F-2, que tiveram sua produção encerrada em 2011 devido ao alto custo de produção. O Mitsubishi F-2 chegou a custar US$ 127.000.000,00 ao governo japonês.
*
O programa Mistubishi F-2 surgiu em 1993 com a intenção de suceder os velhos Phantoms da JSDF (Japan Self Defence Force), ao todo foram previstos inicialmente 141 caças F-2, mas a produção se encerrou com 94 aviões.
*
O F-2 é desenvolvido à partir do F-16C, sendo assim possui características muito similares e até superiores, portanto, usando a lógica, o F-35 terá que ter características, no mínimo, iguais ou até superiores, e um custo unitário igual ou até inferior.
*
Concorrentes
Apesar de não ser um concorrente direto do F-35A, o caça europeu Eurofighter Typhoon é hoje o melhor avião de combate não americano de 4,5° geração ocidental. O avião multifuncional otimizado para combate aéreo garante a superioridade aérea de cinco países europeus e da Arábia Saudita. 
*
Em termos gerais, a única desvantagem do Typhoon em relação ao F-35A é sua capacidade furtiva, que no F-35 é superior.
*
Em teoria, os usuários do F-16 Fighting Falcon seriam os principais (e certos) clientes do F-35A, porém o Sultanato de Oman, usuário do F-16, decidiu adquirir 12 Typhoon em vez dos F-35A.
*
O Rafale também não é um concorrente direto do F-35A, muito menos do F-35C (Rafale M), porém está sendo cotado juntamente com o F-35A para futuras aquisições do Kuwait, Qatar e Emirados Árabes, além do Canadá, que por incrível que pareça, é um dos participantes do programa JSF.
*
Digamos que "quem compra o Gripen, não compra o F-35", já que um é três vezes mais pesado, além de três vezes mais caro que o outro. Mas é fato que a Tailândia, que poderia (e chegou a cotar) comprar os F-16, antecessores do F-35, comprou os Gripen.
*
Na Europa, o Gripen tem entrado como um complemento à uma força aérea equipada com caríssimos F-35. Alguns países que ainda fazem parte do programa F-35, podem futuramente, se o F-35 entrar mesmo em produção, diminuir sua quantidade dos JSF americanos em favor de alguns Gripens suecos.
*
O assunto é discutido hoje pela Holanda, pela Noruega e pela Dinamarca.
*
O mais estranho dentre todos possíveis concorrentes do F-35A, está o baratíssimo caça chines J-10. Com um custo beirando 1/4 do F-35, o Chengdu J-10 é hoje usado somente pela China, mas já foi encomendado pelo Paquistão para substituir os F-16.
*
Considerando que hoje a China é a 1° economia comercial no mundo, e que assim como nós brasileiros, todo o mundo está atrás de mercadoria barata, é possível que algum outro país, assim como fez o Paquistão, venha a substituir seus F-16 não pelos caríssimos F-35, mas sim pelos J-10.
*
A tabela abaixo indica alguns dados do F-35 e de seus supostos concorrentes:
*
O que é o F-35 Lightning
O F-35 é um avião muito caro pelo que oferece, seu desempenho é basicamente o de um bombardeiro e não de um avião de combate, o atraso na entrega dos aviões já se estende a anos e seu custo está ainda acima do Raptor, que foi cancelado por ser demasiadamente caro para uma produção em massa.
*
Diferentemente do Raptor, o Lightning se baseia única e exclusivamente em sua furtividade limitada para ter alguma vantagem sobre um adversário em combate. Podemos dizer que o F-35 segue a teoria que diz "Se vc não pode me enxergar, não pode me matar..."
*
Vc pode discordar de tudo que escrevi, afinal é um direito seu acreditar na propaganda criada em torno desse avião, mas recomendo que leia também além das minhas, outras opiniões sobre o F-35 publicadas pena net:
http://www.f-16.net/f-16_forum_viewtopic-t-23442-postdays-0-postorder-asc.html
http://forum.keypublishing.com/showthread.php?122724-F-35-debate-thread
http://www.ausairpower.net/jsf.html
http://www.defenseindustrydaily.com/the-f-35s-air-to-air-capability-controversy-05089/
http://www.airforcemag.com/MagazineArchive/Pages/2011/July%202011/0711edit.aspx
*
Mais em:

Nenhum comentário:

Postar um comentário