Pesquisar

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Mistral para a Rússia

 Em fase inicial de produção, as primeiras imagens do Vladivostok, o navio de desembarque da Classe Mistral (LHD - landing helicopter dock), construído na França.
*
A venda de dois navios da Classe LHD Mistral à Rússia é a 1° venda de equipamento militar ofensivo de um país da Otan à Rússia. O assunto foi discutido veementemente pela OTAN e principalmente pelos EUA, que condenaram a compra, porém mesmo assim em 2011 foi assinado o contrato da compra inicial de dois navios com transferência de tecnologia.
 Tecnicamente a transferência de tecnologia não será total, pois os propulsores da Rolls Royce que equipam o LHD Mistral não teriam grande utilidade em mares gelados como os que operam a Frota Russa. Assim parte da construção será realizada na França e o término será realizado no Estaleiro Admiralty e m St. Petersburg na Rússia.
 O Mistral é um navio de 199 metros de comprimento com um deslocamento máximo de 21.300 toneladas a plena carga. Sua capacidade de transporte é de 16 helicópteros, 450 soldados e 70 veículos (ou 13 MBTs). Ainda é um navio pequeno se comparado aos monstruosos LDHs da Classe Wasp da USMC, porém muito maiores que o inativo Mitrofan Moskalenko da Frota Russa:
 O Mitrofan Moskalenko (acima) é o último dos grandes navios de desembarque produzidos pela URSS. Mesmo sendo comissionado em 1990, o navio apresentou problemas de navegabilidade devido ao grande peso da super estrutura e portanto teve pouquíssimo uso. Um estudo mais recente da Marinha Russa confirmou que seria gasto o equivalente a produzir um novo navio com as vrebas necessárias para sua modernização, assim o Mitrofan Moskalento está inativo e prestes a ser descomissionado para virar sucata.
 O problema do Mitrofan Moskalenko também era sua capacidade de transportar apenas 4 helicópteros, do modelo Kamov Ka-29 (ao fundo na imagem acima). O LHD Vladivostok será equipado tanto com o Ka-29 de ataque, como o Ka-52 de apoio aéreo.
 O Ka-52 acima pousa no LHD Mistral em sua visita a St. Petersburg na Rússia em 2010.
 Hoje o helicóptero de apoio aéreo Kamov Ka-52 é um dos mais avançados do mundo. A máquina é equipada com todos sensores possíveis de localização de alvos, visão noturna, vôo em quaisquer condições atmosféricas além de uma gama de armas táticas, incluindo mísseis Igla para combate aéreo.
 Contudo o Ka-52 não foi desenvolvido para ataque naval e sim para o apoio de tropas em terra. Desde sua introdução em serviço, em 1987, o Ka-29 é o helicóptero padrão de ataque da Marinha Russa.
 Acima o Ka-29 sendo testado a bordo do LHD Mistral durante a visita a St. Petersburg na Rússia.
 O projeto do LHD Vladivostok prevê a utilização de 8 helicópteros Ka-52 de apoio aéreo, 4 Ka-29 de ataque naval e 4 Ka-27 de busca e salvamento ou anti submarino (foto acima).
 De acordo com a filosofia russa de economia e 'aproveitar o que tem', é bem provável que o Ka-31 AEW (acima) também seja equipado a bordo do LHD Vladivostok. O Ka-31 ainda é limitado com somente duas horas e meia de patrulha, porém o pequeno helicóptero pode fornecer varredura completa de uma área de 125.500 km² ao redor do navio, monitorar até 40 alvos (aéreos ou de superfície) e orientar até 16 aeronaves.
Acima a concepção artística do LHD Vladivostok feita pelo estaleiro francês DCNS que atualmente é o construtor dos navios da Classe Mistral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário