Pesquisar

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Mais sobre o Vladivostok (Mistral Class LHD)

 A França possui hoje três navios da Classe Mistral, sendo eles o Mistral, o Tonerre e o Dixmude, a Rússia pretende além do Vladivostok a construção de mais três navios da Classe Mistral.
*
Em comparação a Classe Wasp utilizada atualmente pelo USMC, o Mistral é bem pequeno. Sua capacidade de carga é de 900 fuzileiros, cerca de 70 veículos incluindo 13 MBT (main battle tank) e 16 helicópteros. Além disso ele também possui uma seção hospitalar com 69 leitos.
Os LHD Mistral possuem um sistema de propulsor de azimute (como o da imagem acima), que pode ser movido para qualquer direção facilitando muito a manobra do navio durante as operações de desembarque. O propulsor utilizado nos navios franceses é fabricado pela Rolls Royce, porém além das divergências políticas entre Inglaterra e Rússia, estudos mostraram que o sistema de propulsão inglesa pode não ser adaptado ao clima frio com muito gelo na água, característico dos mares russos. Assim a parte da popa do Vladivostok está em construção no Estaleiro Admiralty em St. Petersburg na Rússia.
 Acima o detalhe da parte construída na Rússia em vermelho. 
*
O programa "Mistral para Rússia" tem como meta a construção de dois navios em conjunto e mais dois futuramente 100% russos, ou seja fabricados na Rússia porém sob licença da França.
No detalhe acima é possível ver que a área dos hangares, armazém de munições, veículos e propulsão é a 'parte russa' do Vladivostok, já que esses serão totalmente diferentes dos franceses usados pela Classe Mistral atual.
 A popa do Vladivostok ontem (26/06/13) durante as comemorações que precederam o lançamento oficial do navio no mar.
 A doca traseira permanece fechada.
 Por essa doca, o Mistral/Vladivostok poderá desembarcar veículos anfíbios além de MBTs em hovercrafts, como faz os norte americanos Wasp com seus LCAC.
*
Abaixo segue a sequencia de imagens do lançamento oficial do Vladivostok no mar:
video
Veja mais sobre o assunto em:

Nenhum comentário:

Postar um comentário