Pesquisar

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

North American XB-70 Valkyrie - O mais ambicioso projeto da aviação de combate mundial

Desenvolvido durante os anos 60, o projeto de bombardeiro estratégico norte americano de codinome XB-70 foi sem dúvidas o mais ambicioso de todos projetos de avião de combate, dentre os que realmente voaram.
O North American XB-70 Valkyrie teve sua fase de testes entre 1964 a 1969, porém o projeto supostamente já havia sido cancelado antes, por vários motivos controversos, mas dentre eles, os mais prováveis são em 1° por ineficácia perante os Mig-25 e mísseis V-750 soviéticos, 2° por ser instável e de dificil operacionalidade, 3° pelo alto custo e 4º por ser superado facilmente pelos mísseis balísticos.
Sua função única e exclusiva era de realizar um ataque com bombas nucleares dentro do território soviético em velocidade de mach 3 (3.400 km/h). Com essa velocidade o bombardeiro seria superior à qualquer interceptador ou míssil anti aéreo soviético.
Acima o XB-70 ao lado do avião foguete X-15.
Os dois protótipos construídos do XB-70.
O avião foi tão fantástico para a época que teve seu 'debut' comentado até pela Life.
Ainda da Life, uma imagem do XB-70 escoltado por um B-58 Hustler.
Com o avanço da tecnologia soviética anti aérea, a velocidade de mach 2 limitada do B-58 Hustler exigiu um avião muito mais capaz, que precisasse ter uma carga similar ou maior, com alcance similar ou maior porém com a velocidade muito maior.
O resultado do programa foi uma monstruosidade de 57,6 metros de comprimento e 115.000 kg quando vazio.
A capacidade total de combustível chegava a 136 toneladas,
que eram consumidas pelos 6 turbojatos GE-YJ93 de 12.800 kgf de potência cada (acima).
Apesar da aeronave ser projetada para Mach 3, o 1º protótipo teve várias placas de revestimento e painéis danificados pelo arrasto gerado pelo atrito com o ar e calor excessivo, quando o avião atingiu mach 3.08. O avião chegou a pousar com 60 cm da ponta de sua asa esquerda faltando !
Detalhe acima dos 6 (seis) aceleradores no cockpit.
Após a primeira decepção, o Valkyrie foi limitado então a velocidades de até mach 2,50, isto é, cerca de 10% abaixo do seu potencial inimigo durante a missão, o Mig-25.
Mesmo assim a fantástica aeronave fazia vôos de demonstração ao público, além de ser uma plataforma de testes para uma futura geração de aviões supersônicos.
Como forma de reduzir a turbulência causada por grandes derivas, o XB-70 possuía enormes aerofolios móveis nas pontas das asas.
Tal sistema funciona como as guias de fluxo montadas nos únicos bombardeiros realmente supersônicos atuais, o Tupolev Tu-22M3 e o Tu-160.
Acima e abaixo, o detalhe da movimentação do aerofolio de ponta de asa em vôo.
Em 1966, depois de 2 anos do seu vôo inaugural, o 2º protótipo sofreu um controverso acidente durante uma formação de demonstração, onde o Valkyrie era acompanhado por caças da época.
Na imagem é possível visualizar um T-38 Talon, um F-4 Phantom, um F-104 Starfighter e talvez um F-5 Tiger.
Supostamente de acordo com a 'maquiada' informação oficial norte americana, o piloto do F-104 tocou a asa do Valkyrie em vôo, casuando assim a destruição do seu próprio avião (F-104) e a perda de controle do Valkyrie, que o fez praticamente explodir em vôo.
Como toda informação oficial norte americana, existe uma certa controvérsia, pois o F-104 foi um avião largamente empregado em formações aéreas e equipes acrobáticas devido à sua confiabilidade... Bem diferente da enorme instabilidade gerada pela turbulência nessas grandes aeronaves supersônicas de asa fixa.
Supostamente devida a sua instabilidade, o Valkyrie que tocou com a ponta de sua asa o F-104, que como o piloto estava atento em manter a formação, não percebeu até o momento do impacto. Bem a verdade é que o projeto foi abandonado durante o período de testes e o fabricante (North American) foi 'comprado' pela Rockwell.
Após ser limitado a mach 2,5, ter sofrido o acidente e levar a falência o maior produtor de aeronaves de combate da época, o belíssimo mas problemático Valkyrie nº 1 é levado para seu descanso.
Durante algum tempo a fantástica aeronave ficou exposta, mas com o passar dos anos ela foi transferida definitivamente para o Museu Nacional da USAF na base aérea de Wright Patterson em Dayton, Ohio.
Abaixo segue um comparativo entre o XB-70 com outros bombardeiros estratégicos supersônicos, assim como a % de aeronaves perdidas em acidentes.
Muitos me criticam por 'defender' o lado russo, mas sem preferências e estatísticamente falando, a confiabilidade e a capacidade russa de produzir bombardeiros supersônicos é de longe muito superior a norte americana, mesmo tendo esses últimos 'supostamente' falando os melhores bombardeiros do mundo.
*

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Vikramaditya - imagens विक्रमादित्य














































































































 विक्रमादित्य (Vikramaditya)
O INS Vikramaditya é um porta aviões construído à partir do cruzador porta helicópteros Admiral Gorshkov, que serviu a Marinha Soviética nos últimos anos da Guerra Fria e posteriormente foi aposentado depois da queda da URSS.
*
O navio é o mais recente da Classe Kiev, um dos quatro grandes cruzadores dessa classe. O Gorshkov foi comissionado em 1987 e aposentado em 1996, porém o navio estava praticamente 'novo' tendo em vista que um navio desses pode permanecer por cerca de 50 anos em serviço.
*
Em 2004 a Índia e a Rússia fecharam um contrato que visava a venda do casco, totalmente reformado e equipado, assim como suas aeronaves, o Mig-29K e o Kamov Ka-31 AEW.
*
 Ficha técnica: INS Vikramaditya
Classe: Projeto 1143 Krechyeti - Проект 1143 Кречет
Origem: Estaleiros Nikolayev, Ucrânia
Tipo: Navio porta aviões convencional
Situação: em testes no estaleiro Sevmash em Severodvisnk, Russia. Previsto a entrega para a Índia em meados de 2014

Comprimento: 283,1 m
Boca: 51,0 m
Calado: 10,2 m
Deslocamento: 44570 t
Propulsão: 4 turbinas a vapor, 140000 hp
Velocidade: 32 nós
Autonomia: 25000 km a 18 nós

Armamento: 8 CIWS Kashtan-M
Aeronaves:
16 aeronaves de combate multifuncional Mig-29K
10 helicópteros Kamov Ka-28 (ASW) e Ka-31 (AEW)