Pesquisar

domingo, 18 de novembro de 2012

Futuro da Marinha Russa (VMF) - Parte 7, fragatas

As novas fragatas da Marinha Russa (VMF) que encontram-se em fase de produção atualmente são:
A fragata Admiral Gorshkov está em fases finais de construção no Estaleiro Severnaya Verf em São Petersburg no Mar Báltico. A previsão inicial de 20 navios dessa classe pode aumentar para até 30, dependendo somente de verbas para a produção.
*
A Classe Gorshkov de fragatas são totalmente diferentes das antigas Burevestnik e Neustrashimmy por possuir armamento de longo alcance e motores a diesel auxiliares para navegação em velocidade de cruzeiro. A nova classe também pode contar com novas armas como os mísseis da série Klub-N, que possuem variantes anti navio, anti submarino e como seu similar norte americano o Tomahawk. O míssil Klub-N 3M54E1 com uma ogiva de 400 kg e alcance de 300 km, mesmo com sua limitada velocidade de mach 0,8, tem a capacidade de afundar um porta aviões.
*
Contra navios menores, mais rápidos e manobráveis, a Gorshkov contará também com o modelo Klub-N 3M54E, que apesar de possuir uma ogiva menor de 200 kg e alcance também menor (cerca de 200 km), a arma possui uma velocidade terminal de mach 2,9. Tal velocidade é quase 3 vezes maior que das armas navais ocidentais, que são todas subsônicas e girando em torno de mach 0,8 a 0,9. Além da velocidade o 3M54E realiza seu trajeto de cruzeiro dentro de um teto máximo de 4,5 m, que impossibilita a interceptação pelos sistemas de defesa anti-míssil naval.
Acima os mísseis Klub-N em exposição, da esquerda para direita temos a variante 91RE2, anti submarina de trajetória balística, com velocidade de mach 2 e 40 km de alcance; a 91RE1também anti submarina, com velocidade de mach 2,5 e alcance de 50km; a 3M54E e o último 3M54E1, ambos citados acima.
**
Além da capacidade anti navio e anti submarina maiores que as fragatas anteriores da Marinha Russa, a Gorshkov contará com os modernos S-300FM, que equipam atualmente o cruzador nuclear Pedro o Grande.
*
O S-300FM é derivado do modelo anterior utilizado pela Marinha Soviética desde a década de 80, o S-300F, além é claro de descender de uma família de armas anti aéreas terrestres largamente empregadas pela Rússia. O míssil tem uma capacidade similar ao norte americano Standart RIM-66N, porém possui uma velocidade significativamente maior de mach 8,5 contra 3,5 do rival norte americano.
Acima o С-300ФМ, ou S-300FM, pode atingir alvos como caças, aeronaves de patrulha, bombardeiros, grandes helicópteros e até mísseis balísticos de curto alcance. Possívelmente a versão instalada na Gorshkov terá também uma capacidade contra mísseis balísticos de médio alcance, como sua versão terrestre, o S-300PMU. 
***
O segundo navio da classe, o Admiral Kasatonov também se encontra em construção:
Com atrasos na entrega, o Kasatonov era para ser lançado esse ano, mas certamente a previsão não se concluirá, pois o Gorshkov que entraria em testes esse ano ainda aguarda o final da montagem.
*
O Estaleiro Severnaya Verf que constrói a Classe Gorshov conseguiu em agosto passado uma verba de cerca de 510 milhões de dólares para a construção de 6 navios iniciais.

***
Mais sobre em:
***

4 comentários:

  1. Boa tarde. Acho graça da maneira como o amigo tenta valorizar as armas russas em relação as ocidentais. Ñ entendo nada de armas mas ñ me acredito minimamente k os russos tenham alguma arma k seja comparável as suas congéneres americanas.
    cumprimentos

    Amândio Monteiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os EUA possuem cerca de 150 navios que utilizam os mesmos armamentos, sendo que os mesmos são exportados para metade do mundo, então logicamente devem fazer algo que seja barato e de fácil operação... Utilizando se da lógica básica, algo assim é bom num sentido e ruim no outro, veja pelo Kalashnikov. A Rússia tem 20 navios, com armamento variado, e agora tentam uma padronização, assim como os EUA... Certamente o país de maior tecnologia aerospacial do mundo deve no mínimo ter que colocar seus poucos navios perante a soberania dos oceanos mantida pela poderosíssima US NAVY. O armamento tem que ser bom mesmo, senão é intervenção da OTAN na certa ! Essa é minha opinião baseado no pouco que conheço e tenho acesso e a notícias que leio em fóruns estrangeiros, mas se o amigo não "acredita" nisso, é melhor procurar um blog que defenda o lado americano.

      Obrigado pelo comentário.

      Flavio.

      Excluir
    2. Pelo visto você não entende mesmo de armas, e certamente se assiste ou lê midia ocidental nunca vai descobrir quem esta na vanguarda em relação a misseis, se quer se interar , pesquise sobre este missel russo "MOSKIT" e saberá sobre estas armas mortais.

      Excluir
    3. Juju, pelo visto vc é um entendido mesmo em mísseis dizendo que o Moskit é russo... Manja pra carai !!!

      Excluir