Pesquisar

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

F-35 Lightning II caro e controverso


Acima um F-35A
Após uma série de problemas com o controverso programa F-35 Lightning II, agora em outubro a USAF testará pela 1º vez o AIM-120 AMRAAM, sua principal arma para combate aéreo.

O caça médio F-35B (acima) originou se do protótipo soviético Yakovlev Yak-141 (abaixo), como um caça supersônico de pouso e decolagem convencioval ou vertical (S/VTOL).
Yak-141 em 1992
 Após 4 anos de testes e 12 records mundiais da categoria (caça S/VTOL), a Marinha Soviética decidiu-se por encerrar o programa Yak-141 devido ao elevado custo, falta de ferramental para produção em série e uma série de problemas operacionais da própria aeronave.
Com a perda de um dos protótipos em um acidente no convés do porta aviões, a aeronave experimental Yak-141 (acima) foi cancelada, porém a Yakovlev após o colapso da URSS precisava de dinheiro para se manter. Como forma de conseguir tal verba indisponível dentro da Rússia, a empresa se associou a norte-americana Lockheed Martin, e no ano 2000 mostrou ao público seu protótipo X-35.
X-35 em vôo de testes
Diferentemente do Yakovlev, o X-35 não seria somente um "caça naval S/VTOL" mas sim uma célula básica com capacidade furtiva para uma série de aviões de combate, tanto para a USAF como para exportações, visando cobrir várias aeronaves distintas, como o A-10 Thunderbolt II, o F-16 Fighting Falcon, o F-4 Phantom e o F/A-18 Hornet, além é claro de seu antecessor ocidental, o AV-8B Harrier II.
Boeing X-32
Durante a fase de testes, o X-35 apresentou um desempenho superior ao seu concorrente, o Boeing X-32 (acima). A partir do X-35, foi criado o F-35 JSF (joint strike fighter), em três versões, o F-35A (caça médio multifuncional), F-35B (caça S/VTOL) e o F-35C (caça multifuncional naval). O programa F-35 é responsável pelo maior contrato militar de toda História.
F-35C, o "caça naval"
 A política norte americana sobre a venda de caças é sempre a mesma, desde a 2º Guerra Mundial, tal política baseia-se na venda de aeronaves de média capacidade, para ser páreo ao inimigo, mas que jamais terá a capacidade de se equiparar aos Top gun da USAF ou da US NAVY. Essa política também é a peça chave para o contrato do F-35, pois além das 2443 previstas para os EUA, a venda do avião ainda é esperada para mais 10 países que participaram do desenvolvimento da aeronave.
O F-35 ainda sem a pintura completa
O problema começou em relação aos atrasos, pois enquanto grande parte da USAF se torna obsoleta com a produção de novos modelos de caças europeus e asiáticos, os F-35 lutam contra altíssimos custos de produção e limites operacionais. O ambicioso projeto de três aviões na mesma célula, inicialmente em 2006 quando voou pela 1º vez foi cotado entre 75 a 89 milhões de US$ (USD), hoje com 63 aeronaves de pré-série entregues a USAF o custo previsto para o final de 2013 chega a 304 milhões (USD) para cada aeronave.
O F-35 tem uma alta capacidade de carga externa, cerca de 8100 kg, superior a qualquer outro caça monomotor e superior também mesmo a maioria dos bimotores, porém sua carga interna é limitada a dois cabides, acima armado com duas bombas e dois AIM-120. O F-35 conta somente com sua furtividade para penetrar no espaço aéreo inimigo e executar sua missão de combate, com a carga externa, sua furtividade cai ao nível de uma aeronave convencional, tornando assim o avião tão vulnerável quanto qualquer outro.
 Acima, o F-35 com 6 cabides externos
Com uma velocidade máxima de mach 1.6 e alcance de 2220 com combustível interno, o F-35 tem um desempenho abaixo de seus similares, portanto o custo da aeronave torna-se inviável pelo que ela realmente oferece. Devido a políticas, até agora somente o Japão confirmou a compra dos F-35, outros países como a Itália, que também faz parte do programa, luta para conseguir adquirir os Eurofighter Typhoon que são superiores em desempenho ao F-35 e bem mais baratos.
A grande verdade sobre o F-35 é que a previsão norte-americana de ter 3100 caças F-35 operacionais em 10 nações até 2035 não irá se concretizar enquanto o avião custar um valor tão elevado para ter um desempenho tão medíocre. A Força Aérea Canadense com o seu projeto de substituição dos antigos e obsoletos CF-18 Hornet pelos novos CF-35 Lightning II, diz claramente que mantém sua encomenda de 65 aeronaves a um custo de 75~80 milhões de UDS cada... A pergunta que fica é: Como os EUA vão vender um avião a metade do custo de produção ?
???
O F-35 será um grande sucesso como o F-5 Tiger e o F-16 Fighting Falcon ou um grande fiasco como o B-2 Spirit e o F-117 Night Hawk...
*
Saiba por que o F-35 pode ser cancelado !
*
Para quem acha que estou sendo tendencioso ou dizendo apenas balelas sem sentido ficam os comentários externos sobre o assunto:
http://www.ausairpower.net/APA-NOTAM-030907-1.html
 http://www.asian-defence.net/2011/05/usa-f-35-jsf-vs-russian-su-35s.html

11 comentários:

  1. será um grande fiasco, é sua produção, se ocorrer, vai acabar logo, assim como do F22. Uma pergunta: Pq os Rússos acabaram com o Yak-141 q apresentou + sucesso q os F-35 ainkSS? Pq? Sds.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os russos encerraram o programa Yak-141 devido a uma série de problemas, sendo que os de maior importância foram os altos custos do projeto e desenvolvimento, durante uma época de crise... além é claro da falta de tecnologia, que ainda hoje é de extrema complexidade no que se refere a caças de decolagem e pouso verticais.

      Excluir
    2. Espionagem III

      Logo após a implosão econômica do sistema socialista na Rússia, face ao terrível esfôrço gerado pela guerra tecnológica entre o Ocidente capitalista e o Oriente socialista, surgiu um epísódio que, também, envolve espionagem e corrupção (vide Aviões Que Nunca Existiram IX) : funcionários da Yakovlev denunciaram seus altos dirigentes...
      Estes engenheiros e técnicos da própria Yakovlev denunciaram ao Ministério Público da Rússia, que o Contrato de Transferência de Tecnologia realizado com a norte-americana Lockheed, envolvendo milhões de dólares, interessada na solução técnica da Yakovlev para os bocais do duto do respiro/exaustão e estabilização superior (shaft lift-fan) do Yak-141, fôra entregue paralelamente, de modo escuso, para o Programa Joint Streak Fighter - F-35 Lighting II)....
      Em consequência, imediatamente foi denunciado (rasgado) e abandonado o Contrato pela empresa yanque... eles não mais precisavam do Acordo Formal... :

      Excluir
  2. Eu penso o contrário, o F-35 será um grande avião, e todos os aviões modernos serão assim mesmo, acabou a era de que um avião era produzido aos milhares, a partir de agora serão somente algumas centenas, e só. Se vc pensar no que existe em produção hoje em dia, tirando o F-22 que é imbatível (e já pararam de fabricar), e os russos que tem tudo do bom e do melhor em termos de aviação, falando somente em termos de ocidente, não existe nada mais moderno que o F-35. E ele já está em produção! Já existem alguns esquadrões voando nos EUA, é que nos EUA um avião só é declarado operacional depois de anos de testes e milhares de horas de vôo. Esses percalços e desistências de certos países devem-se unicamente à crise econômica, mas é relativamente comum, depois que o F-35 deslanchar ninguém segura! É o melhor avião caça ocidental depois do F-22, NMHO.

    ResponderExcluir
  3. Cada um pensa de uma forma né... Eu imagino que um avião que foi produzido para substituir tanto o F-16 como o F/A-18 custar o mesmo que um Raptor... Não sei não, mas acho que vai ter muitos países que se recusarão a comprar o avião. Os modelos A e C certamente serão usados pelos EUA, mas o F-35B V/STOL está fadado mesmo ao fracasso. O governo americano é o melhor do mundo em propaganda, com ela os EUA enganam o mundo mostrando que seus artigos militares são superiores, como no fracassado V-22 Osprey, que jamais substituirá um Sea Stallion... Porém continua em produção, para não mostrar o fracasso da máquina ao mundo. Se o F-22 Raptor teve mesmo sua produção encerrada por custos, sinceramente acho que um avião de capacidades inferiores, deveria ser mais barato, e não mais caro que o Raptor, como é o F-35... Usando uma lógia básica, está claro que existem várias contradiçoes envoveldo o caso. Ou o Raptor é uma aeronave fracassada, ou o F-35 será um fracasso, pare, pense um pouco a respeito e reflita, verá que tenho razão.

    ResponderExcluir
  4. Não tem como pensar como você, Flavio, qual avião moderno seria melhor que o F-35, o Rafale? O SU-35? Gripen? Perto de 100 F-35 estão voando em esquadrões nos EUA. A Força Aérea vai declará-lo operacional em meados de 2016. Os Marines em 2015. Portanto, já é um sucesso. Só que é caro, porque alta tecnologia não é barato, não é feito na China, o mundo está vivendo uma crise econômica atroz, só os EUA ainda gastam bilhões em defesa. Todavia, o Brasil tem um orçamento militar colossal, só perde para as maiores portências, mas ocorre que 90% é para pagar aposentadorias e pensões especiais, sobram 10% para aplicar em aquisições e desenvolvimentos de projetos, se o Brasil fosse sério teríamos como adquirir dezenas de F-35 brincando, o que tornaria o preço mais barato por unidade, mas infelizmente sonhamos com Rafales e subnucs, não existe avião páreo para o F-22 e F-35, esta é uma realidade dura para páises socialista e admiradores, uma pílula difícil de engolir, mas os EUA estão anos-luz à frente. E olha que eu gosto de armamento russo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara assim que chegar o t-50, o f-35 vai ser um verdadeiro trator voador camuflado, não vai ter quem batera de frente, e espere ate sair o similar chines!

      Excluir
  5. Carlos, não tem como não enxergar que o F-35 tem só um motor, é pequeno, limitado e caro demais. suas características físicas são de um avião similar ao F-16C, porém limitado a uma menor quantidade de armas... na versão 'B' do USMC ainda possuem um complexo sistema de ventiladores internos para o STOL/VTOL que são um 'prolemaço' para quaisquer tipos de aeronaves. Tudo bem sobre a quantidade que os EUA tem hoje deles, porém jamais chegará a previsão inicial de produção e certamente não é uma aeronave tão capaz assim como vc imagina. Concordo plenamente que nenhum caça do mundo é páreo para o Raptor, já publiquei isso aqui no blog nos top 10 dos caças, porém o F-35 é (não para mim, mas para todos que só 'olham' o avião) um F-16 furtivo, caro, complexo e com menos armamento.

    ResponderExcluir
  6. O SU 35 poderá derrotar o F-35 se o detectar usando IRST a 130 Km a ponto de usar o R27EP, ao contrário o AMRAAM não é Eficaz a essa distância... Logo o F35 será utilizado contra países que não possuem capacidade de defesa, como o Iraque a Síria e o afeganistão...quando for contra um pais com mais capacidade, aí a cobra vai fumar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é José Luiz, o F-35 ainda tem um longo caminho pela frente... se continuar nessa que está, realmente só vai servir pra bater nos fracos.

      Excluir