Pesquisar

domingo, 25 de novembro de 2012

Aviões de ataque da Força Aérea Russa

A Força Aérea Russa (VVS) conta hoje com a maior frota de aeronaves de ataque do mundo, com cerca de 1200 aviões, a VVS vem recebendo ultimamente aviões multifuncionais, que podem executar missões de ataque, combate aéreo e guerra eletrônica (anti radar), como o Su-34 da foto acima.
Além dos aviões ativos, a VVS também conta com grande parte da frota herdada da URSS, que se encontra parada e desatualizada. Em sua maioria são aeronaves que não possuem mais condições de vôo e hoje apodrecem ao tempo, por descaso e falta de verbas.
Acima, os Sukhoi Su-24 sem modernização desde a época da URSS aguardam por mais de 20 anos as reformas necessárias para ataender aos atuais padrões da moderna guerra aérea. Desde a época da queda URSS, em 1990, a Rússia herdou cerca de 630 Sukhoi Su-24, dos quais 550 ainda permanecem a serviço da VVS. Desses cerca de 40 possuem as atualizações necessárias (Su-24M2) e mais de 100 ainda aguardam a reforma. Do restante, ninguém sabe ao certo, mas com a introdução de novos aviões, é bem provável que vire sucata.
***
Sukhoi Su-24
Com o aparecimento de novos caças de superioridade aérea pela Europa e a crescente evolução da Força Aérea Chinesa, a VVS tem atualizado de uma forma lenta suas aeronaves de ataque. O Su-24M que é um antigo bombardeiro tático supersônico, como se vê na foto acima, pode transportar um pod eletrônico para a execução de missões anti radar como os novos e caríssimos EA-18G Growler da US Navy. A variante Su-24MR recebeu melhorias entre 2000 e 2009, mas ainda possui um programa de atualizações que pretendem que o avião seja mantido em serviço até 2020.
A última atualização, no padrão Su-24M2, o avião recebe além dos pods dielétricos, a capacidade de transportar mísseis cruzadores modernos, mísseis ar ar R-60 guiados por infravermelho para autodefesa e uma série de modernizações eletrônicas como o HUD do Su-27SM3 e novos sistemas ILS.
***
Sukhoi Su-25
 O Sukhoi Su-25 é um avião de apoio aéreo e reconhecimento tático, assim como é o A-10 Thunderbolt II da USAF e o Super Tucano da FAB. O Su-25 é o avião russo mais usado em combate em guerras a partir da década de 80, com o conflito entre a URSS e o Afeganistão. Em 1990, a Força Aérea Soviética possuía mais de 300 Su-25, que foram sendo desativados, perdidos em combate ou acidentes e hoje somam cerca de 250 aviões. A partir dos anos 2000, um programa de modernização vem sendo aplicado em todos os Su-25 para o padrão Su-25SM. Até hoje 56 aviões receberam novos aviônicos que lhe permite a possibilidade de utilizar novas armas.
O programa de atualização Su-25SM prevê a modernização de 80 Su-25 até 2020, quando será lançada uma nova concorrência para um futuro avião de ataque.
***
Technoavia SM-92P
 O Techoavia SM-92P é um avião de patrulha fronteiriça que pode ser armado com uma metralhadora 12,7mm (0.50cal), além de bombas e lançadores de foguetes. O avião é desenvolvido a partir de uma aeronave agrícola e está em serviço na Rússia desde 1993. Com uma velocidade de cruzeiro de 200 km/h o SM-92P tem um alcance de 1350 km, podendo transportar até 600 kg de armas em 4 cabides externos.
***
Tupolev Tu-160
O maior avião de guerra já produzido ainda se mantém ativo nas listas da VVS. Dos 35 construídos entre 1981 a 2008, 16 encontram-se hoje em serviço na base de Engels próxima a cidade de Saratov. A Rússia conta com 19 aviões Tu-160 em condições de vôo, um de testes e alguns não operacionais, a Ucrânia que também herdara os Tu-160, desativou todos após o colapso da URSS.
O Tu-160 é um bombardeiro nuclear supersônico estratégico, ou seja, apesar da capacidade de transportar de 40 a 45 toneladas de armas, o Tu-160 transporta apenas uma carga de 12 mísseis da família Kh-55 (foto acima). Os novos Kh-55SM transportam uma ogiva de 200 kt a uma distãncia de 3500 km.
O governo russo prevê manter 30 Tu-160 ativos até 2020, sua produção deveria ser de um avião a cada dois anos, porém desde 2008 a VVS não recebe nenhum Tu-160, gerando assim um significativo atraso no cronograma. Não existe um programa de maodernização desses aviões, sendo que os mais antigos são substituídos pelos mais novos, e quando são desativados, normalmente são demolidos para evitar a espionagem tecnológica.
***
Tupolev Tu-95
O famoso bear como era conhecido durante a Guerra Fria também está plenamente operacional na VVS. Dos mais de 500 construídos entre 1952 a 1990, 63 permanecem em serviço na Rússia atuando como bombardeiro estrátégico e aeronave de patrulha oceânica.
O Tu-95MS é um avião confiável, de baixo custo operacional e de longo alcance, que pode transportar uma variedade de mísseis nucleares e convencionais. Desde o período da URSS, o Tu-95MS é utilizado para testar as defesas dos países da OTAN e para espionar exercícios navais no Oceano Pacífico. Hoje são mantidas 63 aeronaves desse tipo, limitadas pelo START de 2010, sendo que 32 transportam 6 (Tu-95MS6) mísseis e 31 com 12 mísseis (Tu-95MS12). 
O Tu-95MS pode transportar até 15 toneladas de armas, porém seu armamento é basicamente composto de mísseis da família Kh-55, transportados em um carregador rotativo interno (6 mísseis) ou em 6 cabides externos. O advento do Kh-55 tornou o Tu-95MS uma grande ameaça aos países da OTAN e da Oceania, sendo que o bombardeiro pode disparar sua carga antes mesmo que os caças de defesa possam levantar vôo.
 Apesar do programa de modernização Tu-95MSM, até o momento os bombardeiros mantém o mesmo padrão desde o ano 2000. É certo que mesmo com a carga poderosa de mísseis, que o Tu-95MS deva estar recebendo midificações, melhorias e atualizações dentro dos próximos anos, já que o modelo não tem sucessor e também não tem previsão de ser desativado.
***
Tupolev Tu-22M3
A Rússia conta com cerca de 100 aviões Tu-22M3 ativos na Força Aérea e mais cerca de 50 na AVMF. O avião de ataque atual é derivado do bombardeiro Tu-22M que servia a Força Aérea Soviética na década de 80.
 ***
Sukhoi Su-34
 O Sukhoi Su-34 é hoje a mais moderna e poderosa aeronave de ataque do mundo. Sua capacidade operacional, aliada a tecnologia e armamentos o tornam mais viável que uma aeronave multifuncional ocidental. Ele é o escolhido para a substituição dos Tupolev Tu-22M3 e dos Sukhoi Su-24 da Força Aérea Russa.
  O Sukhoi Su-34 atual leva vantagem em vários detalhes se comparado ao F-15E, porém como hoje somente 22 aeronaves estão a serviço da VVS, ainda é muito cedo para avaliar o desempenho geral do avião.
Devido a sua enorme capacidade e um custo de US$ 33 mi. para a Rússia, o Su-34 conta com uma encomenda inicial de 120 aeronaves. Como comparativo, seu futuro concorrente, o F-15SE Silent Eagle que teve seu vôo inaugural em 2010, custará cerca de US$ 100 mi. ou pouco mais à USAF.
***
Sukhoi Su-30
O Su-30 foi o primeiro caça multifuncional russo produzido em série. Das mais de 200 unidades construídas, a maior parte é exportada, hoje 19 fazem parte da Força Aérea Russa. Mesmo sendo um concorrente direto do F-15E Strike Eagle, a VVS não pretende mais adquirir a aeronave, pois atualmente recebe o Su-34 que é otimizado para ataque.
A encomenda atual é de 12 aviões Su-30 para a AVMF, com a função de defesa da base naval no território autônomo da Criméia, em Sevastopol na Ucrânia.
***
Sukhoi Su-35
 Assim como o T-50 stealth, o Su-35S tem uma capacidade secundária de ataque, com 12 cabides externos, o caça pode transportar até 8 toneladas de armas variadas. Veja mais sobre o Su-35S em:
***
Mig-29S, SMT & K
O Mig-29S acima, o Mig-29SMT (abaixo) e o Mig-29K podem também executar missões de ataque como função secundária devido aos radares multi modo que essa família de aviões utiliza.
 Apesar de possuir dois motores, o Mig-29 se assemelha em função ao F-16C norte americano, que apesar de serem desenvolvidos inicialmente como "caças", hoje executam a maioria das missões de ataque devido ao baixo custo operacional de vôo.
 Uma nova versão naval (Mig-29K acima) foi encomendada para a substituição dos antigos caçãs Su-33 do porta aviões Almirante Kuznetsov. A VMF (Marinha Russa), pretende adquirir 24 aviões Mig-29K até 2020. Hoje somente um está em serviço na Rússia e cerca de 15 na Índia, esses últimos são parte de uma encomenda total de 45 aeronaves.
 ***
Mig-25
 Apesar de não serem aeronaves de ataque, alguns dos 40 Mig-25RB em serviço na VVS podem transportar até quatro bombas de 500 kg em quatro cabides sobre as asas.
 Mesmo não possuindo um radar de busca, o Mig-25RB é orientado por um avião sentinela que localiza o alvo e lhe fornece informações para executar seu vôo rápido e curto. Com uma velocidade de mach 3,2 o Mig-25RB pode colocar suas bombas no alvo utilizando se de seu complexo de câmeras de reconhecimento (foto abaixo).
Ainda não existe informações sobre modernizações ou aposentadoria do avião, mas até hoje, além do seu sucessor em carreira, o Mig-31, nenhum outro avião similar foi construído ou está em fase de projeto, portanto é bem provável que os Mig-25RB da VVS permaneçam em serviço até o final de sua vida útil, supostamente até 2020.
***
Mig-31
 O programa de modernização dos interceptadores Mig-31 para o padrão Mig-31BM teve início em meados dos anos 90. Esse programa visa aproveitar a célula e capacidades do avião para o transporte de armas anti radar, como o míssil hipersônico Kh-31.
Acima um Kh-31 em exposição ao lado de um Sukhoi Su-30. O Kh-31 é um míssil que se orienta através das ondas de radar hostis até sua origem. A arma é um míssil de ataque a alvos terrestres, mas em teoria pode ser usada até contra aviões de alerta, como diz o site: http://www.ausairpower.net/APA-Flanker.html
***
Sukhoi T-50 (PAK-FA)
 O caça multifuncional de 5º geração em testes atualmente na Rússia pode ser utilizado como uma aeronave de ataque como seu rival norte americano, o F-22 Raptor. O T-50 tem as mesmas capacidades dos caças Su-35S e Su-30SM além é claro da tecnologia stealth, porém além de seu alto custo, sua capacidade de carga fica limitada as baias internas, como na simulação abaixo:
O T-50 assim como o Raptor tem a função principal de manter a superioridade aérea durante um conflito, deixando as funções de ataque destinadas a aeronaves convencionais, mais numerosas e de custo operacional menor.
***
PAK-DA
Além da verba fornecida e da ordem colocada pelo governo russo em relação ao desenvolvimento de um novo bombardeiro estratégico, nenhuma empresa ainda tem um programa de desenvolvimento de tal avião. É certo que dentro dos próximos 10 ou 15 anos a força de bombardeiros estratégicos russos esteja em seu limite operacional de tempo, portanto tanto os Tu-95MS como os Tu-160 terão que ser substituídos. Inicialmante previa-se o desenvolvimento de um avião subsônico com tecnologia stealth, assim como o B-2 Spirit da USAF, posteriormente o programa PAK-DA requeria um avião supersônico com capacidade semi stealth de até 120 toneladas, com a intenção de diminuir os custos. Em agosto desse ano, foi anunciado que o PAK-DA terá velocidade hipersônica, indo contra tudo que já foi dito sobre um avião que ainda nem existe.
***
Mais sobre a Força Aérea Russa em:

6 comentários:

  1. Boa tarde amigo Flávio, você é um crente. Se os russos teem os melhores armamentos porque razão teem uma quota de mercado quase ínfima?
    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Armandio, não sei de onde tirou a idéia de que os russos tem o melhor armamento... Mas certamente sua fatia de mercado não é tão ínfima assim. Hoje em dia, pelo menos metade dos aviões de ataque em serviço no mundo são de fabricação russa ou tem alguma tecnologia derivada de armanento russo ou soviético. Apesar de não serem os "melhores" em todos os os apectos, são equipamentos baratos e que funcionam, veja pelo família dos caças Sukhoi, largamente requisitados pelas foraças aéreas de todo mundo.

      Excluir
  2. Certamente os aviões americanos e europeus são mais modernos, mas o russos tem um portfólio de aeronaves descomunal, eles descontam o atraso tecnológico com a quantidade enorme de aviões. Ademais, produzem tudo que constroem, desde um parafuso até um radar AESA, eles tem reatores nucleares de design próprio, possuem mísseis balísticos, submarinos nucleares e tem um programa espacial que só fica atrás dos americanos. Ou seja, a Russia é uma potência, que ninguém desdenha, só os desinformados. Quanto aos aviões, acho o Tupolev Tu-95 extraordinário, bem original, está meio vintage hoje em dia, mas é fruto de uma ciência própria e bem desenvolvida. No quesito beleza, acho o Tu-22 um dos aviões mais belos já fabricados.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carlos, de uma forma geral, diria que em se tratando de tecnologia de aviões de ataque, hoje a Rússia tem o mesmo nível da Europa, mas com a diferença de possuir aviões mais capazes em relação ao desempenho e variedade de armas. Não creio que em uma situação de guerra real, haja superioridade dos mais modernos aviões de ataque europeus (Typhoon & Rafale) sobre os russos. Já os EUA possuem uma bagagem maior de experiências práticas em guerra, que contam muito no êxito da missão, talvez mais que a própria tecnologia em si. Veja como exemplo pela Força Aérea Israelense.
      Obrigado pelo comentário e um grande abraço.

      Excluir
  3. Flavio, nos anos 70/80 eu detestava os comunistas, mas hoje aprendi a dar valor ao povo russo sofrido, sobretudo os seus cientistas, que paralelamente a nós, ocidentais, desenvolveram tudo sozinhos, naquele gigantesco país, em muitos lugares a 50º abaixo de zero. Mesmo assim deram a volta por cima, sem falar que se destacam na música clássica, filosofia, física e etc... Todavia, a ex-URSS quebrou, ainda são fortes, mas os americanos ganharam a guerra, sem dúvida. Quanto aos aviões, não acredito que nenhum avião conhecido hoje em dia consiga sobrepujar o F-22 a longa distância. Na marinha acho que os EUA estão ainda mais avançados, porém, tirando os americanos, não enxergo nenhuma nação superior aos russos. Se me permite falar dos 2 aviões que vc citou, o Typhoon é fruto de um erro de projeto, claramente é um frankenstein e dizem que o custo de manutenção é extratosférico. O Rafale não é para ser levado a sério, aliás, os franceses como um todo também não. Mas também não compraria aviões russos por aqui, somos americanos também e acho que devíamos nos alinhar com a nossa posição geográfica e ficar do lado dos americanos contra a China.
    Abraços

    PS. As Forças de Defesa de Israel devem ser levadas a sério, mesmo sendo um país tão pequeno, eles são grandes guerreiros e combatentes, muito bem trinados, e escolheram os caças certos: F-16 e F-15, por isso são imbatíveis.

    ResponderExcluir
  4. Eu também admiro a Rússia, meu vizinho é russo e praticamente fui criado por ele. Ele fugiu de lá pois seus pais foram escravizados pelos alemães na WWII, quando tinham que retirar a neve das ferrovias que forneciam mantimentos e munições a Wehrmacht. Tenho um colega que fez residência em Madrid, lá ele sofreu muito com a discriminação espanhola diante do povo brasileiro, mas conseguiu superar tudo quando foi acolhido por três estudantes russos na república dos estudantes residentes. Vejo o povo russo diferente da imagem que a mídia controlada brasileira os expõe, desde a época da ditadura, mantida e financiada pelo governo norte-americano. Concordo plenamente com tudo que disse ! Abraço e obrigado pelo comentário.

    ResponderExcluir