Pesquisar

domingo, 1 de julho de 2012

Saab JAS-39 Gripen - difícil de vender ?




 *
Assim até eu sou favorável a compra do pequeno Gripen para a FAB...
 ***
 Fora da concorrência do novo caça para a FAB (Programa FX-2) e fora da concorrência indiana MRCA, o moderno mas limitado caça multifuncional sueco batalha pelo concorrido mercado de aeronaves de combate.
 Com 264 unidades construídas desde 1996, o Saab JAS 39 Gripen ainda é muito caro pelo que oferece, além é claro de carregar o estigma dos terriveis acidentes.
Apesar de tudo, a Suécia ainda insiste na produção dessa limitada aeronave.
 Com 6 usuários no mundo, a Suécia aluga esses aviões a países pobres como a Hungria que não possuem como adquirir suas próprias aeronaves.
Acima um Gripen alugado voa ao lado de um Mig-21, ambos da força aéra tcheca.
***
Custo unitário em US$ modelos de exportação (do maior para o menor):
Eurofighter Typhoon 125 milhões
Rafale-C 124 milhões
F-15K Strike Eagle 100 milhões
Boeing F/A-18E Super Hornet 67 milhões
Saab Gripen de 60 milhões
Sukhoi Su-30MK 54 milhões
Mig-29M/SMT 30 milhões
Sukhoi Su-27M 30 milhões
Mirage 2000 23 milhões
Lockheed Martin F-16C/D 19 milhões
*

8 comentários:

  1. Também sou favorável ao Gripen pela aposta no futuro, acho os suecos honestos e confiáveis, o Brasil podia entrar nesse contrato e futuramente desenvolver um avião de 5ª ou 6ª geração com eles. Não há o que ter vergonha de um caça leve, bem armadado e com aviônica sofisticada como o Gripen, é um caça para ser aperfeiçoado. Para compor a frota um caça já experimentado como o F16 ou F18 seriam bem-vindos, esses poderiam vir como tampão até o desenvolvimento total do Gripen. Com uns 3 ou 4 esquadrões de F16/18 estaríamos bem servidos.
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Concordo contigo que vários caças leves podem substituir no caso um caça de grande porte, como o Su-30MKV do Camarada Chavez, mas acho que o Gripen é muito caro pelo que ele oferece. Entre os F-16 e os Gripen, se fosse o F-16 Block 52 igual aos Chilenos, certamente seria favorável ao F-16... O problema é ocorrer a desatualização e recusa norte-americana em modernizar os aviões, como na Venezuela, onde os F-16 estão armados com 2 Sidewinder e 6 bombas de 250 kg, já que não se fabrica mais o Sparrow (AIM-7). Na minha opinião, o melhor caça para o Brasil seria o F/A-18E/F Super Hornet (não os F/A-18A/B/C/D).
    Origado pelo comentário e um grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. Flavio, a recusa dos EUA com a Venezuela é bem explicada, não é? No lugar deles eu tb faria a mesmíssima coisa. O Brasil, infelizmente, ainda está no rol dos piratas de tecnologia, enquanto não formos confiáveis nunca vão nos vender equipamentos sofisticados, isso é fato, a tática do Brasil era (ou ainda é?) comprar uma quantidade mínima para fazer engenharia reversa, só que depois não dá certo porque a roubalheira impera. É por isso que o Congresso americano sempre veta qualquer venda de armas avançadas ao Brasil, temos que mudar isso!!!! Concordo com o F-18, sem dúvida excelente, mas se o Brasil ficar batendo na tecla de transferência total de tecnologia (que nem o Japão faz quando compra armas dos EUA), a coisa não andará, por isso prefiro os suecos, pois eles querem parceiros e não apenas compradores.
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Respeito tua opinião, mas eu peguei aversão ao Gripen, não consigo ver um avião monomotor, tão pequeno e limitado, como principal arma de defesa do Brasil... Talvez até os F-16, se forem iguais aos Block-50/52 chilenos, ou os velhos Mig-29M peruanos, mas Gripen jamais. Para escolher um avião limitado ao tamanho como o Gripen, que consegue se manter em velocidades supersônicas por pouquíssimo tempo, transporta até bastante armas, mas em detrimento sofrível do alcance e velocidade, e qualquer carga externa já aumenta absurdamente o arrasto, acho que poderíamos aumentar a força de Mirage 2000/Derby...

    ResponderExcluir
  5. É, eu entendo isso, eu tb. penso que um monomotor é complicado para a extensão territorial do Brasil, mas se vc lembrar que o Mirage III foi o interceptador principal do Brasil por 40 anos, o M-2000 é mais recente, mas são monomotores, então não tem problema... Concordo que a necessidade seria um bimotor, o F-5 não conta - mesmo com as modernizações ele é um caça de 2ª/3ª linha- então o mais capaz e letal de todos é o F-18; ou optar pelos russos SU-30 ou 35, formidáveis. Mas se quisermos desenvolver ou aperfeicoar uma bom caça, com parceiros tecnológicos, não simples vendedores, os suecos se apresentam como a solução, o Gripen é avançadíssimo, pode acreditar.

    ResponderExcluir
  6. E se vierem com essas gatas das fotos, já ganhou!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. E ainda mais com essa visita da Dilma à Rússia... Talvez o Sukhoi entre novamente na briga... Mas ainda entre Mirage 2000 e Gripen, sou muito mais o Mirage 2000, já que o Gripen utiliza grande parte de tecnologia norte americana que jamais será repassada ao Brasil.

    ResponderExcluir
  8. O pior é saber que se realmente as gatas vierem, jamais chegarão em nossas mãos...

    ResponderExcluir