Pesquisar

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Sevmash recebe o Smolensk para reforma

O SSGN K-410 Smolensk é retirado para reforma no estaleiro Sevmash - Severodvinsk.
O Smolensk é um dos 9 submarinos nucleares de míssil guiado (SSBN) do Projeto 949A Antey ativos na VMF. Da mesma classe fazia parte o malfadado Kursk. A Classe Antey foi projetada em 1969, tendo em vista que a capacidade de perseguição e destruição de uma frota (força tarefa) americana estava ultrapassada com o super porta aviões CVN-65 Enterprise e a construção da nova classe Nimitz, também de super porta aviões de propulsão nuclear.
A idéia de tranportar mísseis em quantidade o suficiente para um ataque de saturação, grande velocidade submersa silenciosa, capacidade de patrulha submersa de longa distância e resistência em condições de batalha resultou em um monstro sem precedentes. A Classe Antey ainda hoje é a que possui os maiores submarinos no mundo, o deslocamento submerso dessas máquinas chega a 23860 toneladas.
O novo submarino teve o papel de incorporar a Marinha Soviética uma capacidade até então limitada de perseguição e destruição de um grupo de batalha da US NAVY evitando suas defesas, como os SSN da Classe Los Angeles. Os SSGN anteriores Projeto 659 (5 submarinos) e Projeto 675 (29 submarinos) possuíam 8 mísseis P-5 Pyatyorka, com capacidade o suficiente para destruir uma frota da US NAVY, porém sua deficiência estava na limitada resistência submersa (50 dias), profundidade limitada a 300m, velocidade de 22 nós e um casco relativamente ruidoso, deveriam ser substituídos com urgência.
Assim foi desenvolvido um novo míssil, o P-700 Granit, com 2,5 vezes e meia a velocidade do som, alcance de 550 km e ogiva nuclear de 500 kt para incorporar ao novo submarino do Projeto 949, que inicialmente teve dois barcos construídos e sucedidos pela construção do 949A, o qual fazem parte os SSGN em serviço atualmente na VMF.

Diagrama comparativo da Classe Antey com os demais submarinos de ataque em serviço atualmente.
...
Seu desempenho submerso chegou a 120 dias de patrulha, velocidade de 32 nós e profundidade máxima de 600 metros. Armados com os novos torpedos supercavitantes VA-111 Shkval, os SSGN da Classe Antey são superiores até aos seus "caçadores" da Classe Los Angeles.
O resultado foi uma encomenda inicial de 18 monstros dessa classe, sendo que sua produção foi interrompida com o colapso da URSS, com 11 concluídos no total, desses o malfadado Kursk que foi perdido em acidente, o Krasnodar que foi demolido e o Krasnoyarsk descomissionado e inativo em Vilyuchinsk na Península Kamchatka. Dois cascos inacabados apodrecem dentro dágua em no estaleiro Sevmash e um, o Belgorod, está dentro do estaleiro 80% concuído e inacabado a mais de 10 anos. Com a introdução da nova classe de SSGN a Yasen os Antey serão substituídos aos poucos, por um submarino mais econômico e silencioso, portanto o término do Belgorod ainda é duvidoso.
Desde a perda do Kursk os SSGN da Classe Antey vem sendo reformados, alguns com muito atraso, como o K-119 Voronezh que foi recentemente re-introduzido a Frota do Norte, que levou 5 anos a ser reformado. A previsão é que a reforma do Smolensk leve 3 anos, sendo que o submarino deve estar pronto até o final de 2014 para ser entregue a VMF.
...
Mais sobre a classe Antey em:
Submarinos da VMF
Top 10 submarinos de ataque