Pesquisar

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Top 10 aviões de ataque supersônicos

 Top 10 aeronaves de ataque supersônicas
...
1° Lugar Tupolev Tu-22M3
Operacional desde 1984 o Tu-22M3 é derivado do bombardeiro estratégico Tu-22M e desse além da fuselagem algumas características herdou, como a capacidade de ataque com mísseis cruzadores supersônicos. O míssil que pode ser visto na foto abaixo é o Raduga Kh-22 Burya, com 11,67 de comprimento, 5780 kg de peso, velocidade de 5000 km/h, alcance de 600 km e ogiva convencional de até 900 kg ou nuclear de 1Mt, o Kh-22 é hoje a maior arma aerotransportada.
Com uma velocidade máxima de 2300 km/h, alcance de 7000 km e capacidade de carga de 6 mísseis cruzadores estratégicos, o Tupolev Tu-22M3 é sem dúvida o mais poderoso avião de ataque da atualidade. Apesar de ter quase o peso de um bombardeiro estratégico, o Tu-22M3 é considerado um avião de ataque supersônico pois não possui sonda de reabastecimento em vôo, com essa medida, a Rússia evita que esse tipo de aeronave se enquadre nas limitações impostas pelo novo START. O Tu-22M3 é usado atualmente somente pela VVS (124 aviões) e AVMF (cerca de 50), com mais 90 na reserva. A partir de 1989, 12 Tu-22M3 foram convertidos em aeronave de reconhecimento e 3 para ELINT (escuta eletrônica).
...
2º Lugar F-15E Strike Eagle
O Mcdonell Douglas F-15E Strike Eagle é uma aeronave de ataque com capacidade de combate e interceptação operacional na USAF desde 1988, ele é derivado do caça F-15C Eagle, a base da defesa aérea norte-americana.
Além dos 10400 kg de bombas e tanques auxiliares, o F-15E pode transportar também a mesma carga de mísseis do F-15C ou seja 8 mísseis AA AIM-120 AMRAAM.
Como destaque, o F-15E pode transportar até duas bombas GBU-28 perfuradoras de concreto. A GBU-28 com 2268 kg é a bomba mais pesada aerotransportada atualmente. O F-15E não merece o 1º lugar pois ele não pode atingir velocidades supersônicas se totalmente carregado para ataque, e dependendo ma missão e da arma utilizada existe a necessidade de utilizar pods eletrônicos externos, como na foto acima. Hoje 5 países utilizam o F-15E e o maior usuário é a USAF que conta com 223 unidades ativas.
...
3º Lugar Sukhoi Su-34
 O Sukhoi Su-34 leva vantagem em vários detalhes se comparado ao F-15E, porém como hoje somente 20 aeronaves estão a serviço da VVS, ainda é muito cedo para avaliar o desempenho geral da aeronave.
 Tudo indica que será a aeronave de ataque em destaque nos próximos 10 anos, pois nele foi incorporada toda tecnologia aprendida durante anos dos Su-27, Su-30 e Su-33. Diferentemente do F-15E o Su-34 possui os assentos lado a lado, permitindo assim um maior espaço interno na cabine e mais conforto para os tripulantes. Essa característica é empregada no Su-34 para permitir vôos de grande autonomia como foi demonstrado em julho de 2010 onde alguns Su-34 baseados na fronteira com a Europa voaram rumo à bases no leste, próximas ao oceano Pacífico.
...
4º Lugar Tornado IDS
O Tornado IDS é o mais poderoso atacante supersônico europeu, mesmo com a entrada do novo multifuncional Thypoon,  o Tornado IDS ainda permanece em serviço em 4 países, totalizando 390 aeronaves operacionais.
 Seu projeto data do início da década de 70, sendo assim ele é mais novo que seus concorrentes diretos o americano F-111 Aardvark (já aposentado) e o soviético Su-24 (próximo da lista), e portanto mais compacto e com igual desempenho. O Tornado IDS também tem uma variante de interceptação conhecida como ADV que é utilizada pela Arábia Saudita e uma versão de guerra eletrônica (da foto acima) conhecida como ECR, que pode rastrear e destruir radares inimigos.
...
5º Lugar Sukhoi Su-24
Link para o texto da nossa quinta colocação abaixo da foto:
6º Lugar Xian JH-7
De projeto e construção 100% chinesa o JH-7 é atualmente o avião de ataque mais poderoso construído por esse país.
Mesmo com a China estar recebendo seus Su-30MKK encomendados à Rússia, a produção do JH-7 ainda continua e o efetivo total hoje em operação nas forças armadas da China chega a 114 unidades.
...
7º Lugar Mirage 2000D/N
Criado como uma versão de ataque médio para a Armée de l'Air o Mirage 2000D, de ataque e o 2000N (ataque nuclear) receberam todas inovações de seus anteriores, o Mirage III de caça, o Mirage IV bombardeiro nuclear e o Mirage V de ataque, tudo em uma fuselagem compacta e de alto desempenho.
Sua posição poderia ser melhor, mas infelizmente sua capacidade é limitada apenas pelo seu tamanho, como acima pode ser visto transportando o míssil ar-superfície supersônico francês, o ASMP.
...
8º SEPECAT Jaguar
O Jaguar é um projeto franco-inglês de aeronave de ataque média, similar em alguns aspectos ao nosso AMX. Como característica marcante, convém se destacar sua capacidade de pouso em terrenos acidentados. A aeronave foi utilizada com sucesso na Guerra do Golfo.
Atualmente o Jaguar é operado somente pela Índia e por Omã pois na França e na Inglaterra as aeronaves de ataque estão sendo substituídas por multifuncionais.
...
9º Lugar Chengdu J-7
 Mesmo leve e de curto alcance, o Chengdu J-7 que foi originalmente concebido como caça, vem se mostrando eficaz em missões de ataque.
 O J-7 é um derivado do Mig-21, sua produção encerrou-se em 2006 quando iniciou-se a produção do FC-1 Xiaolong. Hoje o J-7 é operado por 13 forças aéreas e mais de 800 unidades ainda permanecem ativos. Em relação aos demais, o J-7 se destaca por ser uma aeronave robusta, de fácil manutenção e operação, de pequeno porte e com custos operacionais muito baixos.
...
10º Lugar Sukhoi Su-17,20 e 22
Apesar de 350 aeronaves do tipo Su-17/20 e 22 ainda estarem operacionais em 6 países, o modelo vem caindo em desuso por não ter um programa efetivo de modificações e por não apresentar um bom desempenho nas guerras em que foi utilizado.
 Tecnicamente o a série Su-17/20 e 22 carece de um upgrade mas com sua produção encerrada em 1990 a aeronave já está no limite dos 20 anos de serviço, tempo esse para qual foi projetada.
...
Se algum desses é seu avião de combate favorito, vote nele na enquete do blog:
Qual seu avião de combate favorito ?

Nenhum comentário:

Postar um comentário