Pesquisar

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Pentágono lança avião mais rápido do mundo, mas perde contato

O Falcon HTV-2 pode alcançar velocidades 20 vezes superiores à do som; agência não transmitiu voo experimental ao vivo

O Pentágono lançou nesta quinta-feira ao espaço em um voo experimental um protótipo do Falcon  HTV-2 (sigla em inglês para Veículo de Tecnologia Hipersônica), o avião mais rápido já construído, mas perdeu contato com a aeronave poucos minutos depois de começar a sobrevoar o Oceano Pacífico.
Sem transmitir o voo ao vivo, a Agência de Pesquisa de Projetos Avançados de Defesa dos Estados Unidos (Darpa) usou nesta quinta-feira o microblog Twitter para passar informações sobre o segundo e último teste do Falcon HTV-2, que transcorreu como estava previsto até que houve perda de contato com o avião na fase de voo.
O avião, que pode alcançar velocidades 20 vezes maiores à do som, foi submetido a outro teste em abril do ano passado, mas a missão teve de ser abortada nove minutos depois da decolagem, ao se detectar uma anomalia técnica durante o lançamento.
Após essa tentativa frustrada, os engenheiros modificaram o desenho e os padrões de voo do HTV-2. O Pentágono voltou a lançá-lo nesta quinta-feira ao espaço, com a aeronave impulsionada por um foguete da base aérea de Vandenberg (Califórnia).
O Falcon HTV-2 também foi testado em simulações informáticas e túneis de vento, mas só os testes reais podem garantir que ele suporte as altas velocidades e temperaturas para as quais está programado.
O avião foi elaborado em 2003, como resultado de um projeto do Pentágono para criar uma aeronave que pudesse chegar a qualquer parte do mundo em menos de uma hora e suportar temperaturas de quase 2 mil graus centígrados.
Até o momento, a última atualização da Darpa em sua conta no Twitter indicava que a aeronave tem capacidade para concluir o voo de maneira autônoma, embora se tenha perdido o contato com ela. Os dois testes do Falcon HTV-2 têm custo total de US$ 308 milhões, segundo dados da própria Darpa.

...

Até o presente momento, nenhum dos super-aviões deu certo...

Um comentário: