Pesquisar

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Mais interceptações da era Bush







Só para esclarecimento, em uma situação real de guerra, o raio de ação de qualquer uma dessas aeronaves, mesmo que com tanques auxiliares e quantidade reduzida de armas (como a foto do F-15) é menor que o alcance dos Kh-55 transportados pelos bombardeiros russos... isso significa que: suas bases seriam destruídas antes que pudessem decolar para realizar o abate...

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Projeto FX-2 agora para 2012...

clique na imagem que é grande
Após oito anos sem nada decidir o bufão do Lula passou a bomba de decidir pela escolha do FX-2 para a Dilma, que já adiou a decisão para 2012... É bem provável que também não saia esse ano, mas nós nada podemos lamentar, afinal será mesmo muito difícil o Brasil entrar em guerra.
...
O que não entra na minha cabeça é o que o Gripen faz nessa lista ainda, ele é caro e está fora da categoria do Rafale e do F/A-18E, ele é similar ao Mirage 2000, que já é operado pela FAB, é um bom avião e bem barato.
... 
Se a intenção é patrulhar a costa e as fronteiras, com uma quantidade maior de aeronaves, não seria mais lógico arrematar o lote de Mirage 2000 da França ???
...

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Sukhoi Su-30 low pass

Sukhoi Su-30 low pass


 Mesmo sendo de 5 anos atrás, as fotos do show proporcionado pelo piloto Anatoly Kvochur durante uma exibição em Zhangjiajie, Hehua, China, ainda impressionam devido aos vôos rasantes.

domingo, 24 de julho de 2011

Aeronaves de comando do governo russo

 Ilyushin Il-86VKP, também designado como Il-87, é o refúgio presidencial em caso de guerra nuclear. Nessa aeronave se observa a ausência de janelas e portinholas, pois seu interior é blindado evitando ao máximo o contato com o ambiente externo e conseqüentemente à radiação.
 O Il-87 possui sonda de reabastecimento em vôo, característica que lhe permite uma grande autonomia. O modelo está em serviço desde a época da URSS e hoje o governo russo opera quatro dessas aeronaves.
 Ilyushin Il-76VKP ou Il-82, é a versão "econômica" do Il-87, tem as mesmas características, porém em situação de guerra nuclear será utilizado para funcionários de "menor importância" para o governo ou forças armadas. A Rússia conta hoje com duas dessas aeronaves.
 Ilyushin Il-62M, é o mais antigo dentre os jatos de comando do governo russo, ele normalmente é usado como transporte VIP, porém em situações de guerra, também possui capacidade para ação de comando. O governo russo possui uma certa quantidade dessas aeronaves, porém não especificada. Devido a sua idade avançada, os Il-62M deverão ser substituídos pelos novos Tu-214PU.
Ilyushin Il-22M, aeronave turbohélice de comando, usada por militares em campo de batalha. De aparência antiga o Il-20M não desperta muita atenção, pois é derivado do Il-18 (usado como trasporte VIP e civil). Como características o Il-20M é um avião econômico, de pequeno porte, com autonomia de 12 horas e alcance de 6500km. Não se sabe ao certo quantas aeronaves desse tipo estão em serviço nas forças armadas da Rússia, porém o número pode passar de dez.
 Tupolev Tu-214PU, derivado da versão civil Tu-214, o Tu-214PU entrou em serviço em 2008 (para o governo russo), é uma aeronave de médio porte de transporte VIP com capacidade total de comando. Hoje a Rússia opera dois Tu-214PU e mais quatro encomendados.
 Tupolev Tu-142MZ, derivado da versão de patrulha oceânica Tu-142M e da versão de reconhecimento marítimo Tu-142MR, o 142MZ tem como principal função o controle e comando de submarinos. É provável que como seus antecessores, que o 142MZ possua também capacidade de patrulha, lançamento de sonobóias, torpedos e até mísseis, porém não há informações disponíveis sobre esse fato. O Tu-142MZ foi produzido entre 1990 e 1994, porém também não é especificado quantas unidades estão em serviço na AVMF.
 O Tu-142MZ apesar de ser uma aeronave turbohélice, tem um excelente desempenho, como velocidade de 850km/h e alcance de 12000km.
Ilyushin Il-96PU, ou o "Kremlin voador", é a versão do conhecido Air Force One da Rússia. A aeronave possui sistemas de defesa e comando, assim como o luxo e conforto das instalações do Kremlin.
Como a versão americana, o governo russo possui quatro Il-96PU, assim nunca se saberá exatamente onde o presidente se encontra.
*
Veja também:
Forças Armadas da Rússia

sábado, 23 de julho de 2011

Tupolev Tu-95MS

Conhecido por sua aparência "velha" e "obsoleta", o Tu-95MS engana muita gente, principalmente pessoas que desconhecem a máquina e a julgam como uma velharia militar como as aeronaves que o Brasil lamentavelmente utiliza.
 O Tu-95 teve seu primeiro vôo em 12/11/1952 e entrou em serviço na VVS em 1956, desde então ele vem sendo melhorado até sua última versão, o Tu-95MS, operacional na VVS desde 1981. Sua função é atuar como bombardeiro estratégico, isto é, uma aeronave capaz de trasportar mísseis cruzadores a distâncias além dos 5000 km de sua base.
 Atualmente a VVS opera cerca de 60 a 65 aeronaves desse tipo, que permanecerão em serviço até 2040. A USAF opera também duas aeronaves similares em desempenho, o B-52H Stratofortress e o B-2 Spirit, a China tem o Xian H-6 que mesmo menor e de desempenho inferior também tem como mesma função básica a de ser um vetor de mísseis estratégico.
 A VVS opera o Tu-95MS a partir de três bases aéreas, são elas: Dyagilevo, em Ryazan próximo a fronteira européia; Ukrainka, na região de Amur, próximo a fronteira com a China e conseqüentemente  próximo ao Oceano Pacífico e Japão e Engels próximo a Moscou (também próximo a fronteira européia). Entretanto nada impede de que tais aeronaves sejam operadas a partir de outras bases mais próximas a regiões desejadas, como já aconteceu de serem operados a partir de Semipalatinsk no Cazaquistão, próximo ao Paquistão e Afeganistão.
Esquadrão de Tu-95MS na base aérea de Engels
 O modelo 95MS que a VVS opera atualmente foi produzido de 1981 a 1990, tendo sua produção encerrada com a queda da URSS, onde tais aeronaves eram comumente vistas nos oceanos Pacífico e Atlântico norte, porém na época não operavam armas de grande eficácia. Muitos analistas afirmam que sua função básica serviço da URSS (na época) era o teste da velocidade de reação (detecção, inteceptação, etc) de países da OTAN. Em 1984 a VVS começa a testar um novo míssil similar ao americano ALCM e Tomahawk, o Kh-55, que de início tinha um alcance de 300 km, ainda pequeno para ser realmente eficiente em uma situação real de guerra. Três anos depois versões melhoradas do Kh-55 foram desenvolvidas com alcances de 600 km para ogivas convencionais e 2500 km para ogivas nucleares, assim o Tu-95 MS tornou-se uma ameaça a ser considerada pelos EUA.
 Hoje o Tu-95MS entra nas limitações impostas pelo tratado de redução de armas de destruição em massa o START, que está em vigor atualmente. O Tu-95MS armado com mísseis Kh-55 tem capacidade para destruir quase todos alvos de grande importância para os EUA, tanto quanto para a Europa e Asia.
 A vantagem de operar uma aeronave estratégica de grande porte é sua capacidade de realizar missões em condições adversas. como neve, chuva e tempestades, situações que um ataque a partir de porta aviões é bem mais complicado, tanto quanto a operação de aeronaves táticas, menores e de menor potência e alcance.
 Os testes do Tu-95MS com novas armas e sistemas se iniciaram em meados dos anos 2000, porém como o orçamento da VVS ainda estava baixo, suas operações foram limitadas até 2007 quando o então presidente Vladimir Putin anunciou a volta das patrulhas oceânicas com esse tipo de aeronave. No mesmo ano os Tu-95MS foram vistos ao longo da costa Britânica, em águas internacionais próximos as Ilhas Hébridas e no Oceano Pacífico perto da base militar norte americana em Guam. O mais notável incidente foi entre 9 e 10 de fevereiro de 2008, quando quatro Tu-95MS decolaram da base de Ukrainka com direção ao Oceano Pacífico, durante 3 minutos as aeronaves violaram o espaço aéreo japonês, porém seu objetivo principal não era o teste da velocidade de reação do Japão (que foi inexistente), mas o teste da reação da 7° Frota da US NAVY baseada no porta aviões CVN-68 Nimitz que estavam em missão operacional no Pacífico. De acordo com fontes da US NAVY os Tu-95MS foram detectados a 800 km da frota americana, porém a interceptação dessas aeronaves só ocorreu a 80 km da frota, isto é, tanto a detecção e a interceptação foram realizadas dentro do alcance dos Kh-55 transportados pelo Tu-95MS. Mesmo sendo interceptados por aeronaves F/A-18E da US NAVY, os Tu-95MS permaneceram em mesma rota até sobrevoarem o porta aviões norte americano.
Devido a sua operação de longa data, o Tu-95MS se mostrou uma aeronave confiável para missões em qualquer tempo a longas distâncias e grande permanência no ar. Mas com o final do mandato Bush, a iminente ameaça militar a Rússia também acabou, então a partir de 2009 os vôos em águas internacionais cessaram porém os testes internos ainda continuam. Em 30/07/2010 aeronaves Tu-95MS participaram de um exercício militar onde voaram ininterruptamente por cerca de 55000 km com quatro reabastecimentos aéreos, mostrando ao mundo sua imensa capacidade como arma estratégica.
O Kh-55 muito similar ao americano ALCM foi aperfeiçoado para ter um maior alcance, chegando assim aos 3000 km, sendo 20% maior que os ALCM, gerando assim a necessidade da USAF desenvolver uma nova arma, o AGM-129 ACM, com alcance de 3700 km, isto é, mais capaz que a russa.
O Kh-55 é transportado em carregadores rotativos em uma baia ventral livrando assim as asas e a fuselagem do volume dos mísseis, que geram um grande arrasto aerodinâmico, diminuindo a velocidade e alcance dessas aeronaves.
Em resposta ao desenvovimento americano do AGM-129 ACM, a Rússia mostro em 2010 seu novo míssil o suposto Kh-555, com alcance de 3 a 5 mil km, porém como os americanos, o míssil não é compatível ao tamanho da baia interna das aeronaves operacionais, portanto devem ser transportados em cabides sobre as asas. Não existe ainda a confirmação da operacionalidade da nova arma, mas é bem provável que como o AGM-129 ACM tenha um uso limitado, pois dos 2200 mísseis cruzadores estratégicos impostos pelo START aos EUA, somente 460 são AGM-129 e são operados somente pelos B-52H em cabides externos nas asas.
A capacidade do Tu-95MS foi relatada oficialmente pelo porta voz do Conselho Nacional de Segurança dos EUA Sean McCormack quando em nota oficial disse "...essas aeronaves se encontram em excelente estado de conservação..." e "...são uma grande ameaça particular...", também foi dito que "...o Pentágono observa e analisa a situação..."
O medo americano causado pelo "Bear" codinome dado pelos EUA ao Tu-95MS ainda é fato, pois quanto mais demonstram não temer, fica mais claro que o Tu-95MS ainda é uma grande ameaça. O almirante James Vinnefelda chefe do Comando da Defesa Aerospacial dos EUA disse em pauta oficial sobre os vôos do Tu-95MS próximo a fronteiras do Alasca, Canadá e EUA "...Isto é como a ilusão de poder, onde o poder não é qualquer. Eles tentam mostrar ao mundo que eles são uma nação poderosa, mas não damos-lhes a satisfação..."
Observando a foto acima e sabendo que o Tu-95MS foi incluso no Start, fica visível a veracidade das informações norte americanas, como disse o almirante "... mas não damos-lhes a satisfação..." da frase acima ...

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Por dentro da IRKUT

Fotos da linha de montagem da Irkut Aviation Plant:




 Linha de montagem do Yak-130
 Su-30 em produção

 Ao fundo o cartaz de propaganda do MS-21 que tem o 1° vôo previsto para 2014
 Su-30 em fase final de montagem
A Irkut é uma empresa que monta os aviões da Sukhoi, Yakovlev, Beriev, Tupolev e Mikoyan, atualmente a empresa produz a série Su-27 e Su-30 tanto para a Rússia como modelos de exportação, o Yak-130 para a VVS e o Be-200 para o Ministério das Situações de Emergência (do governo russo).
...
Com a linha de montagem de algumas aeronaves a Irkut libera as empresas para produzirem aeronaves exclusivas, como a Sukhoi com o T-50 (caça multifuncional stealth), o Superjet 100 (aeronave comercial regional) e o Su-35S (caça multifuncional da 4,5º geração), a Tupolev com os modelo comercial Tu-204 e o novo Tu-214 para o governo russo e a Mikoyan com o Mig-29K para Índia e talvez para a VMF. A Beriev trabalha ainda no projeto do A-40 Albatross e a yakovlev produz também seus próprios Yak-130 para a substituição dos atigos Let-39 de treinamento da VVS e AVMF.
...

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Tu-160 Vs B-1B














Tupolev Tu-160 Vs Rockwell B1-B
DADOS B-1B Tu-160
Comprimento (m) 44,50 54,10
Envergadura máx. (m) 41,80 55,70
Envergadura mín. (m) 24,10 35,60
Altura (m) 10,40 13,10
Peso vazio (kg) 87100 110000
Peso normal de combate (kg) 148000 267600
Peso máximo de decolagem (kg) 216400 275000
Potência (kg/f) seco 4 x 6636 4 x 14030
Potência (em kg/f) c/ pós combustão 4 x 13990 4 x 25052
Velocidade máxima (km/h) 1340 2220
Raio de ação (combate) (km) 5540 7300
Alcance máximo (km) 12000 15000
Teto operacional (m) 18000 15000
Carga de armas máx. (kg) 34000 40000
Carga de mísseis normal (unidade) 12 12
Quantidade em serviço (unidade) 65 16