Pesquisar

quinta-feira, 30 de junho de 2011

China anuncia oficialmente a construção de porta aviões

 Link Flot.ru

O término da construção do ex-Varyag ainda não havia sido anunciada oficialmente pela China até então. O casco do 2° porta aviões soviético em construção (nunca terminada) na Ucrânia foi arrematado em um leilão pela China. A divulgação inicial era de que o casco serviria a um cassino ou a musus flutuantes como o Kiev e o Minsk, porém o Varyag teve um futuro diferente. O casco após um conturbado processo de negociações com a Turquia relativo a burocracia política e taxas por atravessar o estreito de Bósforo, o Varyag foi rebocado ao estaleiro Dalian onde desde 2005 vem recebendo reparos e istalação de novos equipamentos.
***
O Shi Lang como será provavelmente nomeado, deverá estar a serviço da Marinha do Exército de Libertação Popular da China em 2012, sendo que quando for comissionado será o 2° maior e mais poderoso porta aviões do mundo, ficando atrás apenas da classe Nimitz da US Navy
***
Dados indicam que o Shi Lang será diferente do seu irmão Almirante Kuznetsov que serve a VMF, pois o sistema de mísseis P-700 Granit não foi instalado, então certamente o Shi Lang será um porta aviões "puro" como é padrão ocidental e não como um misto de cruzador e porta aviões, padrão da URSS. Sendo assim a capacidade de aeronaves será significativamente maior. 
***
Analisando pelo lado operacional, o Almirante Kuznetsov é um "cruzador porta aviões" com a finalidade de combate a outros navios e a submarinos, já o Shi Lang será como os porta aviões da US Navy, um navio de ataque... Para que será que a China quer um navio de ataque ?

sábado, 25 de junho de 2011

Sukhoi Su - 35S o mundo está preparado ???

Sabe-se que atualmente existem três aeronaves de combate que detém o posto de "Top gun" ou seja, superioridade aérea. Essas aeronaves tem como finalidade principal controlar o espaço aéreo em uma situação real de combate.
Além do combate aéreo e interceptação, a aeronave pode também realizar ataques contra alvos em solo e navios.
Tecnologicamente é clara uma ligeira vantagem do F-22 Raptor em relação à sua furtividade, porém a gama de mísseis transportada pela família Su-27/30/33 e 35 é muito mais eficaz que a carga tanto do Raptor como a do F-15 Eagle.
***
Apesar de não contar com a tecnologia furtiva, o Su-35S é hoje a aeronave de superioridade aérea da década, pois nele se combinam todos os fatores aprendidos durante a Guerra Fria assim como novos conceitos tecnológicos e de guerra anti-stealth.
***
Dados do OLS-35 IRST (infra red search and tracking) usado pelo Su-35S
***
 Acima um diagrama com a faixa de detecção do radar Irbis-E em relação à seção transversal de radar (RCS) de algumas aeronaves americanas
***

 Acima o diagrama comparativo do alcance dos mísseis ar-ar.
***
 Opções de míssil ar ar para o Su-35S e para os aviões de 5° geração ocidentais
*
O Su-35S tem o melhor equilíbrio dentre todas as aeronaves de combate da atualidade, suas características de desempenho como velocidade, alcance, teto de serviço, etc. pode ser comparável ao F-15, sua carga de armas também é similar à do F-15 em peso, porém o Su-35S pode transportar até 12 mísseis de combate, sendo que desses, seis podem ter um alcance 50% maior que a principal arma do F-15 e do F-22, o AIM-120 AMRAAM.

 ***
O Su-35S também conta com o radar IRBIS-E, o mesmo desenvolvido para o PAK-FA, que hoje é o mais avançado radar que equipa uma aeronave de combate. Junto com o radar, o Su-35S ainda possui um rastreador IRST, que pode ser muito útil em um combate contra uma aeronave stealth sem que essa tenha a chance de disparar primeiro.
***

***
Será mesmo que as aeronaves de combate da atualidade, que são consideradas como "parcialmente eficazes" contra ameaças do leste, terão mesmo eficiência contra o Su-35S? Tirem suas próprias conclusões....


 Finalizando, o Su-35 possui a melhor manobrabilidade de combate dentre todos caças atualmente em serviço, possui um preço baixo pelo que oferece, sendo cerca de 1/3 do valor de um Raptor. Como sabe-se que a produção do Raptor foi encerrada devido ao altíssimo custo e que o futuro caça ocidental padrão será o F-35 Lightning II, que tem um valor bem alto também (duas vezes o valor do Su-35S) e um desempenho bem inferior ao Raptor.

Ficha técnica: Sukhoi Su-35S
Tipo: aeronave de combate multifuncional
Dimensões:
comprimento: 21,90 m
envergadura: 15,30 m
altura: 5,90 m
área alar: 62,0 m²
Pesos:
vazio: 18400 kg
máximo de decolagem: 34500 kg
Motores:
2 turbofans Lyulka Saturn 117S totalizando 29000 kgf de empuxo com pós combustão
Desempenho:
velocidade máxima: 2400 km/h
teto operacional: 18000 m
alcance: normal 3600 km, máximo 4500 km
Armamento:
até 8 toneladas em 12 cabides
Tripulação: 1
Usuários:
Rússia: 10, só do modelo "S"
Possíveis usuários: 
em primeira instância Índia, Malásia e Argélia, depois Venezuela e Indonésia, por último existe a possibilidade de venda também para a China.
***

Sukhoi PAK-FA em SUPER HI-RES

Sukhoi PAK-FA em SUPER HI-RES








FOTOS 3550 X 2360

INS Vikramaditya

Do sânscrito विक्रमादित्य "Bravo como o Sol"

Ficha técnica: INS Vikramaditya
Classe: Projeto 1143 Krechyeti - Проект 1143 Кречет
Origem: Estaleiros Nikolayev, Ucrânia
Tipo: Navio porta aviões convencional
Situação: em testes no estaleiro Sevmash em Severodvisnk, Russia. Previsto a entrega para a Índia em meados de 2014

Comprimento: 283,1 m
Boca: 51,0 m
Calado: 10,2 m
Deslocamento: 44570 t
Propulsão: 4 turbinas a vapor, 140000 hp
Velocidade: 32 nós
Autonomia: 25000 km a 18 nós

Armamento: 8 CIWS Kashtan-M
Aeronaves:
16 aeronaves de combate multifuncional Mig-29K
10 helicópteros Kamov Ka-28 (ASW) e Ka-31 (AEW)

Veja também a sequência de imagens em ordem cronológica do Vikramaditya em:

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Projeto 955 Borei - проекта 955 Борей

Projeto 955 Borei - проекта 955 Борей

Ficha técnica: Projeto 955 Borei - проекта 955 Борей
Tipo: SSBN
Situação: 1 em teste no mar, 1 lançado, 2 em construção + 4 planejados

Comprimento: 170,0 m
Boca: 13,5 m
Calado: 10,0 m
Deslocamento à tona: 14720 t
Deslocamento submerso: 24000 t
Propulsão: 1 reator nuclear, 1 eixo 50000 hp
Velocidade: 15 nós à tona e 29 nós submerso
Autonomia: 90 dias
Profundidade de mergulho: normal 400 m e máxima de 480 m
Tripulação: 107

Armamento: principal 16 SLBM RSM-56 Bulava, secundário 6 tubos de torpedo de 533 mm e mísseis RPK-2 Viyuga (ASW).

domingo, 19 de junho de 2011

Mig-25R o avião mais rápido do mundo

Você sabe qual é o avião mais rápido do mundo atualmente ?
 É o Mig-25RB um avião de reconhecimento produzido na época da URSS, em velocidade máxima a aeronave atinge 3400 km/h, ou seja 96,3% da velocidade do recordista em absoluto SR-71 Blackbird americano, que já não está em serviço a 13 anos.
 O Mig-25RB assim como seu rival americano tem como finalidade o foto-reconhecimento a grande altitude e velocidade, serviço que atualmente é realizado em sua maior parte por satélites. A grande diferença entre a utilização da aeronave e o satélite é a previsibilidade do satélite, que como orbita a terra passa sempre e em mesma hora no mesmo local, já a aeronave é imprevisível para o inimigo.
 Os EUA desativaram o Blackbird devido ao elevadíssimo custo operacional e obsolência da aeronave perante os SAM estratégicos em uso pela URSS desde o início da década de 80.
A Rússia ainda mantém o Mig-25RB em serviço pois operacionalmente ele é muito mais econômico que o Blackbird e os atuais mísseis anti-aéreos (SAM) ocidentais utilizados pela OTAN tem uma capacidade relativa de eficácia contra essas aeronaves.
 Desenvolvido inicialmente como interceptador, contra bombardeiros estratégicos supersônicos, o Mig-25 foi responsável por inúmeras polêmicas entre as duas superpotências. O primeiro vôo da aeronave foi em 1964, em 1970 o avião já estava totalmente operacional na VVS.
  Em julho de 1967 a aeronave foi mostrada ao público pela primeira vez, causando grande impacto no ocidente, pois se tratava de uma aeronave totalmente nova e revolucionária, porém o maior medo dos EUA veio com as quebras de records, onde de 1967 a 1977 o Mig-25 quebrou 29 records da aviação mundial, sendo que desses o destaque é o de altitude em absoluto com a marca de 37650 m.
 Os records de razão de subida e de velocidade em circuito fechado também ainda pertencem ao Mig-25.
A maior polêmica causada em relação à aeronave foi a deserção do piloto Viktor Belenko com uma aeronave dessas em 1976. Com a proposta de dinheiro e asilo político oferecido pelos EUA, os pilotos soviéticos eram tentados a desertar com suas aeronaves para o inimigo, que ávidamente carecia de tecnologia. O Mig-25 capturado em 1976 no Japão foi o responsável pelo desenvolvimento do F-15 Eagle, que até hoje é a base da defesa aérea, interceptação e ataque da USAF e de mais 3 países (Israel, Japão e Arábia Saudita).
Ao todo foram produzidas 1190 unidades do Mig-25 (contra 32 Blackbird), dentre eles versões de interceptador, reconhecimento e treinamento, e após a tecnologia da aeronave estar em mãos dos EUA a URSS trabalhou em um novo projeto, também baseado no Mig-25, o Mig-31, nessa época uma grande quantidade dessas aeronaves foi repassada a outros países que ainda o mantém em serviço.
Sua eficiência em combate real veio com sua utilização no Egito no início da década de 70, em missões de reconhecimento as aeronaves russas obtiveram grande sucesso devido a grande velocidade e altitude. O Mig-25 também foi usado com sucesso na Guerra Irã - Iraque, onde os Mig-25 iraquianos abateram outros aviões Mig (anteriores) e helicópteros. Já no conflito entre a Síria e Israel (1981 - 1982) o Mig-25 enfrentou sem sucesso o F-15, que muito mais armado e com tecnologia mais avançada abateu 3 migs sírios. O Mig-25 também foi utilizado na Guerra do Golfo de 1991 onde 2 deles foram abatidos pelos F-15 da USAF. Fontes também fornecem limitada informação sobre o uso de versões de reconhecimento na Guerra de Nagorno - Karabakh entre a Armênia e o Azerbaijão em 1994.
 Em 1997 na Guerra Indo-Paquistanesa, um Mig-25RB da força aérea indiana executou missões de reconhecimento com sucesso sobre território paquistanês.
Sua última aparição em situação real de uso foi em 2002 onde Migs-25 iraquianos abateram um F/A-18 da marinha americana e um drone Predator armado com mísseis Stinger.
Atualmente a Rússia opera somente a versão de reconhecimento, mas outros países ainda operam os interceptadores, os Mig-25 de reconhecimento atuais também podem atuar como bombardeiros transportando até 4000 kg de bombas em 4 cabides sobre as asas. Temos hoje 123 Mig-25 em serviço e 16 estocados no Cazaquistão, os maiores operadores são a Rússia com 42 e a Síria com 40 aeronaves, em terceiro estaria a força aérea líbia, mas com a situação atual do país é difícil dizer quantas aeronaves ainda permanecem em serviço.
 A versão de interceptação aérea foi superada no início da década de 80 pelo Mig-31 e pelo F-15, porém a versão de reconhecimento ainda não possui um adversário à altura. Os Mig-25 foram produzidos em série de 1969 a 1985 e as atuais versões de reconhecimento em serviço são as mais recentes. Ainda é incerta a data de retirada de serviço, mas sem dúvida o Mig-25 é um marco na História da Aviação.
O Mig-25U é a versão de treinamento, onde o instrutor ocupa uma cabine separada do aluno.

Ficha técnica: Mikoyan Gurevich Mig-25RB
Tipo: aeronave de reconhecimento supersônica
Dimensões:
comprimento: 19,58 m
envergadura: 13,38 m
altura: 6,50 m
área alar: 58,9 m²
Pesos:
vazio: 20000 kg
combustível: 15000 litros
normal de decolagem: 37100 kg
máximo de decolagem: 41200 kg
Motores:
2 turbojatos Tumansky R-15BD totalizando 22400 kgf de empuxo
Desempenho:
velocidade máxima: 3400 km/h
velocidade de cruzeiro: entre 2800 a 3200 km/h
teto máximo: acima de 27000 m
teto operacional: de 20000 a 24000 m
decolagem: 1200 m
pouso: 800 m
alcance: normal 2130 km, máximo 2400 km
Armamento:
até 4 toneladas em 4 cabides sobre as asas (4 bombas)
Tripulação: 1
Usuários:
Rússia: 42 Mig-25RB
Síria: 40 no total, sendo 8 Mig-25RB e 1 Mig-25U
Líbia: não se sabe ao certo quantos restaram do lote inicial de 60 aeronaves dos 3 tipos
Azerbaijão: 28, sendo 14 Mig-25RB, 8 interceptadores e 6 Mig-25U
Turcomenistão: 24 interceptadores e treinadores
Argélia: 11, sendo 8 interceptadores e 3 de reconhecimento
Armênia: 1 interceptador
Cazaquistão: 16 na reserva
*
Mais sobre o Mig-25 em:

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Sukhoi T-50 (PAK-FA)

O Sukhoi PAK-FA - Perspektivny aviatsionny Kompleks frontovoy aviatsii - do russo ao pé da letra "perspectiva de aeronave complexa de aviação tática" ou T-50 de acordo com o fabricante, é hoje a mais avançada conquista militar tática da VVS.
***
A perspectiva da aeronave de desenho e tecnologia mais avançada que seu concorrente americano o F-22 Raptor pretende ter um mercado muito mais abrangente e com muito mais unidades construídas, que deverão atender as forças aéreas do mundo dentro dos próximos 40 anos. O fabricante assim como a Rússia e a Índia (acionista do projeto) pretendem produzir 1000 aeronaves Sukhoi T-50 contra 168 Raptores produzidos pelos EUA.
***
O diferencial entre ambos é relativo ao custo, tanto de projeto como unitário e a tecnologia empregada. O Raptor teve um custo de desenvolvimento de aproximadamente 65 bilhões de dólares, pois além de ser muito avançado para sua época (final da década de 80) o projeto foi desenvolvido sem bases iniciais, isto é a partir do zero. Hoje um Raptor individualmente, custa cerca de 150 milhões de dólares ao governo americano. O Sukhoi T-50 teve o custo de desenvolvimento entre 8 a 10 bilhões de dólares, pois seu desenvolvimento foi à partir da tecnologia adquirida do F-117 Nighthawk perdido pela USAF na Guerra do Kosovo e de experiências com aeronaves de 4,5ª geração como o Sukhoi Su-35. O custo unitário de um T-50 é de cerca de 100 milhões de dólares.
***
Em se tratando de tecnologias, o F-22 Raptor possui uma tecnologia do final da década de 80, isto é, igual a dos atuais F-15 Eagle e F/A-18 Hornet, já o Sukhoi T-50 incorporou tecnologias do Su-27M (Su-35), aeronave operacional desde 1996. O radar AN/APG-77 do Raptor tem alcance eficiente de cerca de 290 km, apesar de não possuir informação técnica suficiente, é bem provável que o AN/APG-77 seja similar a seu antecessor e tenha capacidade para monitorar 14 alvos simultâneamente e engajar 6, sendo eficiente contra aeronaves não furtivas (convencionais). O radar Irbis-E utilizado no Su-35 e no T-50 possui uma capacidade de detecção de alvos convencionais dentro de até 400 km, sendo que ele monitora 30 e engaja até 12 alvos simultâneamente. O diferencial é que o radar americano AN/APG-77 é ineficiente contra aeronaves furtivas e o Irbis-E do Sukhoi pode localizar um alvo de 1 cm² a 90 km de distância.
***
O Sukhoi T-50 ainda conta com um rastreador infra-vermelho inexistente no Raptor e extremamente eficiente conta aeronaves furtivas, pois mesmo essas possuindo baixa "visibilidade" por radar ainda possuem uma assinatura infra-vermelha maior que a do ambiente em que voam. O rastreador IR é comum em todas aeronaves de combate russas mas curiosamente é inexistente em aviões americanos.
***
Junto com a gama de eletrônicos o T-50 conta também com seus mísseis R-73 guiado por infra-vermelho e com alcance de 40 km e o R-77 guiado por radar ativo com alcance de atá 160 km, é bem provável que como seu antecessor, o T-50 também possa transportar a versão IR do R-27 com 120 km de alcance, que sem dúvida seria uma arma mortal à qualquer outro adversário furtivo. Comparativamente o Raptor transporta 2 Sidewinder guiados por IR com 40 km de alcance e até 6 AIM-120 guiados por radar ativo com alcance de até 120 km. A quantidade de mísseis trasnsportada pelo T-50 ainda não é divulgada, porém deve ser igual ou similar aos 12 mísseis transportados pelo Su-35.
***
É suposto que o RCS (seção transversal de radar) do Raptor seja inferior (0,0025m²) ao do T-50, de 0,3m² com os motores Lyulka AL-41F1 e 0,003m² com os futuros motores. O fato é ainda questionável, pois nenhum dado concreto é divulgado por ambos fabricantes (ou governos) e tudo que é discutido fica apenas dentro do campo de especulações. Claramente sabe-se que o atual motor do T-50 muito mais confiável que o motor do Raptor, porém seu design é tipico de um motor convencional. Também é divulgado que esse motor (o mesmo do Su-35) será usado apenas nas versões de teste enquanto a Sukhoi aguarda o recebimento dos novos motores produzidos também pela Lyulka-Saturn. 

***

A realidade é que o T-50 só esteja operacional em 2015, isto é, 10 anos após a entrada do Raptor, então certamente sua tecnologia será superior, como o futuro F-35 Lightning II será uma aeronave semi-furtiva de médio porte (inferior ao T-50), o seu real concorrente será o chinês Chengdu J-20.

***

Ficha técnica: Sukhoi T-50 (PAK-FA)
dados do jornal russo Pravda
Dimensões:
comprimento: 19,40 m
envergadura: 14,00 m
altura: 4,80 m
área alar: 90 m²
Peso:
vazio: 17500 kg
combustível: 11100 litros
normal de decolagem: 30500 kg
máximo de decolagem: 35500 kg
Motores provisórios:
2 turbofans Lyulka Saturn AL-41F1 totalizando 30000 kgf de empuxo
Desempenho:
velocidade máxima: 2600 km/h
velocidade de cruzeiro: de 1850 a 2100 km/h
teto máximo: 20000 m
teto operacional: 17000 m
decolagem: 350 m
pouso: 350 m
alcance: máximo de 5500 km
Capacidade de carga:
até 7,5 toneladas de armas variadas
Tripulação: 1
Custo estimado:
entre US$ 100.000.000,00
Futuros usuários:
Rússia e Índia
página da web oficial: