Pesquisar

Carregando...

sábado, 11 de julho de 2015

Kamov Ka-52K o novo helicóptero da Marinha Russa

Acima o Ka-52K com um míssil anti navio Kh-35 Uran.
Em primeira mão numa página brasileira, as fotos REAIS do Kamov Ka-52K, o novo helicóptero naval da Marinha Russa (AVMF).
*
Esse helicóptero foi desenvolvido para ser usado nos navios de assalto anfíbio, construídos em conjunto com a França, entretanto com a crise na Ucrânia, os navios não foram entregues à Rússia.
*
O presidente francês françois hollande se recusa a entregar os dois navios (Vladivostok e Sevastopol) enquanto a Ucrânia não resolver seu próprios problemas internos (?)... coisas da ONU e OTAN... em suma, o presidente russo Vladimir Putin disse em maio desse ano que não quer mais os dois navios, mas quer o dinheiro de volta para construir seus próprios navios de assalto anfíbio, assim o Ka-52K será utilizado em outras embarcações da VMF (marinha russa) até que estejam prontos os seus próprios navios.


sexta-feira, 13 de março de 2015

Technoavia

A Technoavia é uma pequena empresa russa que produz atualmente o utilitário monomotor leve SM92 Finist (abaixo), que surgiu em 1993 como o substituto russo do Antonov An-2 ucraniano.
*
O SM92 Finist é utilizado hoje pela Guarda de Fronteiras da Rússia, como avião de reconhecimento, patrulha e COIN.
*
Technoavia Rysachok
 O Technoavia Rysachok (acima) ainda se encontra em fases de homologações desde seu 1° võo em 2011, o avião bimotor utilitário vem como uma proposta a ocupar a lacuna o Antonov An-28 soviético, que deixou de ser operado militarmente, na Rússia, com a queda da URSS.
***

Novos aviões de combate para a Força Aérea Russa

Mikoyan MiG LMFS
Nada ainda é concreto sobre o Mig LMFS, aeronave de combate leve, que seria para a VVS, o que é hoje o F-35A para os EUA. Não se seba se o avião terá canards, como o Rafale e o Typhoon, ou será montada como em um padrão tradicional, como o F-35A ou o chinês J-31. Na ilustração acima, os dois modelos propostos para o LMFS, o com canards à esquerda e o "tradicional" à direita.
*
Sua proposta, testada no ano 2000 com o Mig 1.44 (acima), foi encostada em Zhukovsky desde então. O 1.44 foi um protótipo de dois motores e com a fuselagem relativamente grande, deve ter sido testado também junto aos outros protótipos da Sukhoi, como o S-37 e o T-50, porém como o avião é MiG, acabou sendo deixado para trás devido as preferências da Sukhoi na política comercial capitalista russa.
*
O apesar de não ter tido continuidade no desenvolvimento como o T-50, o Mig 1.44 ainda é mantido no Centro de Testes de Zhukovsky em boas condições. Fotografado no ano passado, durante a Maks 2013, o avião estava com suas derivas pintadas nas cores da bandeira russa, o que pode significar que o avião possa a voltar a voar e dar continuidade ao programa LMFS.
*
Mikoyan Mig-35
Sem nada do LMFS, a VVS encomendou 37 novos Mig-35, a proposta da Mikoyan de caça médio avançado, de 4,5° geração. O caça tem um radar AESA similar ao utilizado pelo F-22 Raptor, que lhe dá uma capacidade bem diferente dos MiG-29. O Mig-35 conta também com várias partes de sua fuselagem em composites que absorvem ondas de radar, assim como o Eurofighter Typhoon.
*
Sua produção anda meio devagar, devido aos atrasos da Mikoyan na entrega dos caças multifuncionais MiG-29K, MiG-29KUB e MiG-29M2 (acima), assim não é certo ainda a data de entrega desses novos aviões à VVS.
*
Em categoria, considerando seu peso, armamento, tecnologia e função, o MiG-35 é um avião similar ao Eurofighter Typhoon europeu, ao Rafale francês e ao F/A-18F Super Hornet americano.
*
PAK-DA
O PAK-DA é nova proposta de bombardeiro stealth para a VVS, PAK DA (perspektivnyi aviatsionnyi kompleks dal'ney aviatsii) ou traduzido para o português: complexo de perspectiva de aeronave de longo alcance, ou nova proposta de bombardeiro estratégico, para simplificar.
*
Já comentei sobre ele aqui no blog, na época da matéria, a maquete mostrada no túnel de vento da Tupolev ainda estava sem os propulsores, acima a nova maquete já montada com duas turbinas sobre as asas. O cronograma do programa PAK-DA prevê uma aeronave para testes em 2020 e início de produção em 2025/2030, quando os Tu-95MS e Tu-160 começarem a serem desativados.
*
Aparentemente a maquete do Tupolev Tu-202 (acima), de concepção similar a do B-2 Spirit, testada pela URSS nos anos 80 foi abandonada em favor desse novo modelo com turbinas externas. Não sabe-se ainda exatamente se o PAK DA será um avião de grandes capacidades com o é o B-52H Stratofortress da USAF ou como o Tupolev Tu-160 da VVS, ou se será um avião menor, como o B-2 Spirit ou o Tu-22M3... especula-se até que ele seja pouco maior que o Su-34... só aguardando mesmo pra saber a cara da fera.
*
Sukhoi T-50
O mais esperado caça da atualidade, o T-50 de 5° geração russo, que conta com 5 unidades de testes, segue seu cronograma de desenvolvimento como planejado pela VVS e pelo governo russo. o T-50 é o avião de superioridade aérea que concorrerá com o F-22 Raptor.
*
O modelo de avião de combate encontra-se ainda longe do norte americano F-35, agora em 2015, o Ministério Russo de Defesa segue otimista com a previsão de ter um avião para testes na VVS em dezembro desse ano ainda ou janeiro de 2016.
*
Depois do incêndio no 5° protótipo, a produção dos modelos em teste deu uma recuada, acho que também se deve ao fato da Rússia passar por um momento de crise financeira, entretanto o avião ainda é esperado pois está em atraso com a Índia, que também receberá sua versão desse caça.
***

Aviões e Helicópteros do Governo Russo

Acima, o Aeroporto de Chkalovsky é a base operacional da Frota Aérea do Governo Russo, situado a 31 km a noroeste do centro de Moscou, o aeroporto de Chkalovsky mantém sempre uma grande frota de aviões de todo tipo em prontidão.
*
Assim como no Brasil e nos EUA, o governo russo mantém além da Força Aérea, Aviação Naval, Ministério das Situações de Emergência e Guarda de Fronteiras, uma grande quantidade de aviões e helicópteros (como os Mil Mi-8 acima) para uso próprio. 
*
Dentre as aeronaves utilizadas em 2014, temos aviões totalmente novos, como os Ilyushin IL-96-300PU (acima), e modelos soviéticos antigos, que tiveram (ou ainda tem) continuidade em sua produção, mesmo após a queda da URSS, e finalmente modelos diferentes, de outras procedências e ucranianos, assim, vamos a eles:
*
Antonov An-12
O cargueiro soviético An-12BK é o avião mais antigo utilizado pelo governo russo, datando de 1973. O An-12BK é similar ao nosso C-130 Hércules, tanto em função, desempenho, capacidade de carga, tecnologia e faixa etária.
*
É impossível dizer com exatidão quantos An-12BK ainda servem o governo russo, pois eram muitos com a queda da URSS, e o número vem decaindo a cada dia, mas é bem provável que menos de 10 estejam ainda em plena atividade.
*
Antonov An-22 Antei
O gigante soviético Antei, que também é utilizado pela VVS, ainda tem seu espaço dentro do organograma das aeronaves de carga do governo russo. Na Rússia, um total de 7 An-22 permanecem em atividade, alguns na VVS e alguns no governo.
*
O An-22 do governo russo mantém ainda o padrão clássico de pintura soviética, de 1976, quando esses aviões foram fabricados.
*
Por ser um avião robusto e 100% analógico, o Antei tem pouco para dar problemas, assim eles permanecerão em atividade ainda por um longo período, pois não há notícias ainda sobre sua aposentadoria, que virá algum dia com a chegada do An-70 ou An-124-150.
*
Enquanto esse futuro não chega, a Rússia continuará a ouvir o estrondoso ruído de seus quatro motores turbo hélices de 15 mil hp de potência cada um.
*
Antonov An-30
O An-30 é uma versão do cargueiro An-24, utilizado para cartografia aérea. O An-30 teve seu nariz modificado para portar uma série de câmeras para realizar o mapeamento de solo.
*
Também é impossível determinar com exatidão quantos An-30 ainda permanecem em atividade, pois o avião vem sendo desativado gradativamente desde o fim da URSS.
*
O An-30 que teve sua produção encerrada em 1980, ainda não tem um sucessor definido, portanto também não tem prazo para aposentadoria.
*
Ilyushin IL-18
A Rússia ainda mantém um IL-18, o ônibus voador soviético de 1978, que concorria com o Lockheed L-188 Electra.
*
Na era dos jatos computadorizados, esse tipo de avião é usado para o transporte VIP assim como os Tu-154 e Tu-204, que concorrem em mesma capacidade, assim é possível que em breve sejam desativados em favor de aviões mais recentes.
*
Tupolev Tu-134
 O Tupolev Tu-134A-3 nas cores da Rossyia
*
Quando em 1960, o então primeiro secretário do Partido Comunista, o Camarada Kruschev, visitou a França, ficou abismado com o interior luxuoso dos Caravelle franceses... daí de volta para casa, insatisfeito com a dura realidade dos ônibus aéreos soviéticos Tu-124A e IL-18, Kruschev ordenou o projeto de um novo avião que viesse a superar o clássico Caravelle.
*
Assim em 1963 voa pela primeira vez o Tu-134, uma versão "melhorada" do Caravelle francês. Mantendo a mesma configuração, o Tu-134 recebeu motores mais possantes e uma fuselagem muito mais robusta. O desempenho do Tu-134 era de longe muito superior ao Caravelle, seguem alguns dados:
*
Dado a esse desempenho superior, o Tu-134 teve uma maior aceitação posterior, que o Caravelle, então sua produção se estendeu até 12 anos a mais, sendo que no total 852 Tu-134 foram produzidos contra somente 252 unidades do Caravelle.
*
Alguns Tu-134 (Tu-134AK) da VVS ainda mantém o padrão interior em um estilo luxuoso das eras soviéticas, outros são mais simples, sendo que um total de 10 unidades (6 ativas + 4 reserva), dos aviões produzidos em 1984, ainda permanecem ativos na VVS
*
Foto: Tupolev Tu-134AK
*
No mundo atual nenhum Caravelle voa mais, foram retirados do serviço em 2005, mas um total de 223 Tupolev Tu-134 ainda permanecem em atividade em 8 nações.
*
Ilyushin IL-62M
O IL-62M vem de uma época em que a URSS não pensava em economia, mas sim em desempenho de vôo, assim o quadri reator foi projetado com uma fuselagem estreita, com menos assentos que os convencionais "wide body" atuais. No ocidente, os aviões civis intercontinentais são em sua totalidade "wide body", mas na Rússia o IL-62M ainda é utilizado.
*
 Ao todo sete são listados no governo russo, sendo que um deles está armazenado na reserva e os demais em plena atividade. Três deles possuem uma carenagem dielétrica na espinha dorsal, item esse, de uso exclusivo do governo russo.
*
Tupolev Tu-154
 O Tu-154 é um tri-reator que surgiu na URSS em 1972 e foi fabricado até o ano passado. O modelo foi criado como um concorrente do Boeing 727, e deu certo, pois o Boeing parou de ser fabricado em 1982 e o Tupolev continuou a ser produzido.
*
Foto: Tupolev Tu-154 com a carenagem nas costas.
*
 Hoje além dos 16 Tu-154 do governo russo, o avião é usado pelo governo de 15 nações e 85 companhias aéreas ao redor do mundo. A produção do Tu-154 se encerrou ano passado, após 41 anos, mais de 1000 unidades foram produzidas e agora o antigo jato comercial cede espaço ao novo Tu-214, descrito a seguir.
*
Yakovlev Yak-40
Sete jatos executivos Yakovlev Yak-40 são mantidos pelo governo russo.
*
Dassault Falcon 7X
A Rússia também possui um jato executivo intercontinental de fabricação francesa, o Falcon 7X (acima), produzido pela Dassault desde 2005.
*
Mi-8
O tradicional helicóptero utilitário Mil Mi-8 também faz parte da frota de aeronaves do Governo Russo. Esse modelo de helicóptero é produzido desde a época da URSS e dele originaram-se vários modelos, incluindo esses VIPs utilizados pelo governo.
*
Um a nova versão, similar a do Mi-171, com o radar já conformal ao radome do helicóptero, tambem está em uso juntoa os modelos mais antigos. Como é uma aeronave de transporte VIP e ligação, não existe dados da quantidade de Mi-8 que está a serviço da Rússia, mas certamente são muitos, pois no país todo, mais de 600 estão operacionais, contando os do Governo, os militares e os civis.
*
Antonov An-124 100
O cargueiro pesado Antonov An-124-100 é o maior avião operado pela Rússia atualmente. Cerca de 20 aviões desses foram herdados pela Rússia da URSS. Hoje 14 estão operacionais e os outros 6 na reserva, o avião passa atualmente por uma modernização enquanto a versão An-124-150 não fica pronta.
*
O An-124 Ruslan é o maior avião já produzido em série, sua produção deu-se de 1984 a 2004, ao todo foram construídos 55 desses aviões. A nova versão An-124-150 encomendada pela VVS terá novos aviônicos (similares aos do An-70) e uma capacidade de carga aumentada em 25%.
*
Enquanto a Ucrânia não apronta a nova versão, os An-124 soviéticos que permaneceram na Rússia passam hoje por uma modernização para o padrão atual A-124-100.
*
Airbus A319/320
 Após o colapso da URSS, o governo russo vem utilizando-se de aviões ocidentais em sua frota, como os Airbus A319 (acima) que somam 16 em serviço + 6 encomendados. Essa medida deu-se ao fato do governo russo utilizar-se de algumas de suas aeronaves para fretes civis, não governamentais, assim como uma companhia aérea civil.
*
Na foto o Airbus A320, nas cores da Rossyia, com 9 unidades em serviço.
*
Boeing 767-300ER
 O potencial de uma companhia aérea com quase 100 aviões de tipos variados, supera a capacidade de produção nacional de grandes aviões intercontinentais, assim três Boeing 767-300ER foram adquiridos enquanto os IL-96-300 não são entregues.
*
Antonov An-148
O estranho avião para 86 passageiros Antono An-148 também faz parte da frota do Governo Russo. Esse avião tem uma configuração similar a de um cargueiro, como o nosso EMB KC-390, porém o avião ucraniano/russo é bem menor, decolando com 43.700 kg contra cerca de 80 t. previstas para nosso KC-390.
*
O An-148 é fabricado também na Rússia, assim sua produção não cessou com a crise na Ucrânia, e esse daí da foto acima é recente, nem foi ainda pintado nas cores do governo ou da FSB (Forças de Segurança Nacional). O An-148 pode atingir 870 km/h e tem um alcance máximo de 4.400 km, sua produção se iniciou em 2004 e de lá até agora 30 unidades foram produzidas, dessas 11 estão a serviço da Rússia.
*
Tupolev Tu-214
 O novo jato de fuselagem estreita de longo alcance que substitui o antigo modelo Tupolev Tu-154. Apesar de não ser tão rápido como seu antecessor, o Tu-214 utiliza-se do mesmo conceito ocidental de aproveitamento máximo da sustentação com uso mínimo do motor, assim a diferença de velocidade de 950 para 850 km/h fica insignificante perante os 10.000 km de alcance do Tu-214 contra 6.600 do Tu-154.
*
Além dos 214, a VVS ainda tem encomendados dois Tu-204-300, de fuselagem mais curta. O Tu-204-300 também não possui a carenagem dielétrica presente em alguns dos 214 em serviço hoje na VVS.
*
Ilyushin IL-96-300/PMU
O transporte civil wide body de longo alcance IL-96-300 também faz parte do inventário do governo russo atual. Assim como nos EUA, a Rússia conta com cinco aviões desse tipo a serviço das maiores autoridades do país. Dois deles, denominados IL-96PMU, possuem uma carenagem dorsal dielétrica, os outros três, são convencionais, assim como os IL-96-300 civis.
*
Apesar da taxa de produção ser baixa, a linha de montagem do IL-96 continua em 2014 em atividade, não cessando como as previsões ocidentais. A cada ano um avião é entregue, tanto para o governo russo como para companhias aéreas civis.
*

 O último avião, terminado em 2013 (imagem acima), ainda em fase de testes de vôo, já tem destino definido, com a carenagem dorsal típica dos aviões exclusivos do governo russo.
*
Ilyushin IL-96-400
O mais recente avião em fase de testes para o governo russo é o IL-96 400. Esse avião é o maior "airliners" construído pela Rússia, sendo em categoria, similar a alguns modelos do Boeing 777 e ao Airbus A330, porém o IL-96 utiliza-se de uma configuração com quatro motores. Não posso afirmar ainda, sem base de dados, qual a utilizade de um avião desses ao Governo Russo, mas provavelmente é um posto de acomando aerotransportado.
***
Resta-nos só saber agora se os políticos russos utilizam-se somente desses aviões ou se recebem a passagem aérea gratuita, como nossos governantes, em todas as companhias aéreas que operam dentro do país.